9 anos após ser inaugurado, Hospital da Mulher vira abrigo para usuários de drogas

0
369

Inaugurado em 30 de outubro de 2008, o Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM), em Ferraz de Vasconcelos, surgiu para atender as especialidades médicas, como: psicologia, odontologia, clínica geral e ginecologia. Próximo a completar 9 anos, a realidade é outra: o local está abandonado e serve de abrigo para usuário de drogas.

Com uma localização privilegiada, próximo à Estação Antonio Gianetti Neto, o CAISM, popularmente conhecido como “Hospital da Mulher”, foi referência durante os anos em que funcionou. No local, os pacientes tinham à disposição diversos tipos de exames, entre eles: papanicolau, colposcopia, ultrassonografia, Raio X, mamografia, coleta e medicação, interpretação e laudo. Além de ser equipado com centro de esterilização, sala de curativos e suturas, pré-consulta, imunização, enfermagem, entre outras.

Hoje, para infelicidade de milhares de ferrazenses, quem passa pela Avenida Jânio Quadros se surpreende. O antigo hospital foi, inclusive, incendiado por criminosos. A fachada é digna de um cenário de apocalíptico: pichada, repleta de destroços e com pertences pessoais abandonados.

“Eu nem gosto de olhar para aquele antigo hospital da mulher. É uma vergonha, um absurdo tiraram o hospital tão bom que era. A gente passava no médico, fazia pré natal, não precisava ir pra longe pra passar em uma consulta. Ai tiraram pra hoje está naquela situação, é uma vergonha”, disse Cícera Capucho, moradora da Vila Jamil.

Os mais críticos apelidaram o ambiente de a “minicracolândia”, uma referência ao local, na capital paulista, onde há anos serve de ponto de encontro para usuário de drogas.

“Era um posto de saúde muito bom, fiz muitos exames ai [Caism], é triste ver essa situação agora”, finalizou Cida Vasconcellos.

Mamografia

Quando funcionava, o CAISM era o responsável por realizar o exame de prevenção ao câncer de mama, desafogando, assim, os demais postos e hospitais da região.

O tema voltou a ser discutido nesta semana pelo vereador Agílio Nicolas Ribeiro David (PSB). Em requerimento (confira na página 8), o vereador solicitou ao Executivo a lista de espera para realização do exame de prevenção.

Em 2015, a demanda por prevenção ao câncer de mama reduziu bastante tendo em vista a parceria com o governo estadual que enviou para a cidade a carreta-móvel do programa “Mulheres do Peito”. Na época, o então secretário municipal da Saúde e vereador licenciado Juracy Ferreira da Silva (PMDB) fez questão de comemorar o fim da lista de espera por exames de mamografia. A carreta atendia cerca de 50 mulheres por dia, de segunda a sexta, e 25 aos sábados.

Deixe seu comentário