Parceria do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) com a Honda e o Sindicato das Autoescolas do Estado de São Paulo (Sindautoescola.sp) requalificou, em quatro anos, 95% dos instrutores de motocicleta de todo o Estado.

Criada em 2014 com o objetivo de atender as necessidades de aperfeiçoamento dos instrutores na categoria “A” e repassar os conhecimentos para os alunos das autoescolas, o programa beneficiou cerca de 4.000 profissionais no período.

Nesta semana, o diretor-presidente do Detran.SP, Maxwell Vieira, participou do encerramento das aulas e ressaltou a importância da parceria com a Honda e o Sindauto.

“Alcançamos excelentes resultados nesses quatro anos de parceria com a Honda e o Sindauto SP, proporcionando qualificação profissional aos instrutores de motocicleta e assegurando maior segurança no trânsito. Isso é importante para salvar vidas. Agradecemos o empenho de todos”, disse.

De acordo com ele, o Detran.SP, por meio da Escola Pública de Trânsito (EPT), planeja novo programa de requalificação de instrutores de motocicletas a partir de diretrizes que serão definidas pelo governo federal.

“O programa de requalificação de instrutores na categoria ‘A’ foi implantado e realizado com êxito. O Estado de São Paulo foi pioneiro na iniciativa e agora outros Estados também estão em busca de parcerias”, disse Rosana Néspoli, gerente da EPT.

PARCEIROS

“O trabalho com os CFCs para o aperfeiçoamento da formação e conscientização dos condutores foi um dos caminhos que encontramos, em parceria com o Detran e Sindautoescola, para contribuir com a segurança dos motociclistas do Estado de São Paulo e a harmonia no trânsito”, afirmou Paulo Takeuchi, diretor executivo da Honda South America.

Para o presidente do Sindautoescola.SP, Magnelson Carlos de Souza, o curso proporciona mais conhecimentos técnicos e modernos aos instrutores, o que contribuiu para a formação de novos pilotos de motocicleta. “A atualização constante desses profissionais é fundamental para melhorar o trânsito nas cidades paulistas”, disse.

CURSO

O curso tem oito horas e é dividido em teoria e prática. São passados conceitos de inspeção preventiva, mecânica, uso de equipamentos de segurança, postura e técnicas de curva, frenagem e comportamento no trânsito.

Segundo Thiago Roberto Vasconcelos, instrutor de pilotagem da Honda responsável pelo curso, o que mais atrai a atenção dos instrutores é a parte de pilotagem. “O uso correto da frenagem e de como fazer curvas são as principais dúvidas”, disse.

De acordo com ele, o erro na frenagem é a maior causa de acidentes envolvendo motociclistas. Dados do Infosiga SP apontam que um terço das vítimas fatais em acidentes de trânsito registrados no Estado de São Paulo são motociclistas.

“Com o tempo, a gente se acostuma com os vícios de pilotagem de moto. O curso é importante para nos alertar sobre esses vícios e nos ensinar a pilotar corretamente”, disse o instrutor da capital paulista Fábio Piologo, 41.

Instrutor de motocicleta há seis anos, Elizeu de Lima Macedo, 36, afirmou que a maior dificuldade é fazer curvas e frenagens corretamente. “A gente precisa estar consciente para poder repassar para os alunos as melhores técnicas”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui