Como a cidade apresenta pontos crônicos de acúmulo de lixo de toda a natureza e, no entanto, a Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos não tem instrumentos objetivos para resolver o problema, o presidente da Câmara Municipal, vereador Flavio Batista de Souza (PTB), o Inha acredita que a solução ideal seria a criação de um lugar apropriado para fazer o descarte final, sobretudo, de restos da construção civil. Ele defendeu essa ideia durante a sessão ordinária, na segunda-feira, dia 28.

Na prática, Inha quer que a municipalidade estude a possibilidade de adotar, de fato, uma política pública para tratar de resíduos sólidos, no município. Por isso, o presidente avalia que esse tipo de assunto deve ser debatido com a sociedade ferrazense, em geral. Afinal de contas, a existência de locais tomados por grande quantidade lixo como, por exemplo, a Rua Francisco Sperandio, na Cidade Kemel, afeta o dia a dia de todos e, ao mesmo tempo, contribui para prejudicar o aspecto visual da cidade.

De acordo com ele, o Poder Executivo poderá inclusive promover parcerias com empresas privadas ou até mesmo com entidades do chamado Terceiro Setor para desta forma viabilizar a instalação de uma usina de reciclagem de restos da construção civil. Com isso, o governo municipal manteria a cidade conservada gastando pouco dinheiro público e evitaria a aparência de abandono que reina na cidade. Por sua vez, o grupo responsável pelo gerenciamento da fábrica geraria renda e postos de trabalho.

Em contrapartida, Inha aponta que a Prefeitura Municipal também deveria aumentar a fiscalização para coibir o descarte irregular de lixo por empresas e moradores e, principalmente, para flagrar pessoas de fora de cidade despejando entulho em qualquer lugar. “Além disso, o cidadão precisa ter a consciência de não emporcalhar a nossa cidade e depois querer colocar a culpa somente no poder público. Enfim todos têm de dar a sua contribuição”, conclui Inha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui