Há quase três anos em funcionamento em Suzano, a Delegacia da Mulher registrou até o último mês 3.289 boletins de ocorrência de crimes contra a mulher. Os números foram divulgados pela Delegacia ao deputado Estevam Galvão, durante visita que ele realizou ao local.

Autor do projeto que cria e instala a unidade em Suzano, Estevam acredita que o serviço criado para atender mulheres e famílias vítimas de violência doméstica favorecem a denúncia. “O problema é mais grave do que imaginamos. São registradas mais de 100 ocorrências todos os meses na cidade. Cerca de 450 medidas protetivas são autorizadas por ano em Suzano para garantir a integridade física das denunciantes”, apontou.

De acordo com os números divulgados pela Delegacia da Mulher, os crimes de violência psicológica, caracterizados por ameaça – são os mais comuns. No último ano, 602 ocorrências deste tipo foram registradas. Os números competem com as lesões corporais dolosas – violência física -, que em 2017 chegaram a 557 casos.

Os casos registrados de estupro são menores, mas também expressivos – 56 no ano passado. Somente nos cinco primeiros meses deste ano, já são 33 casos registrados na cidade. “Desde a instalação, a Delegacia vem registrando um aumento significativo nos registros de ocorrências e condução de medidas protetivas, muito mais porque as mulheres estão se sentindo mais seguras para denunciar a violência que sofrem. Aqui, são atendidas por mulheres preparadas para atender estes tipos de ocorrências, podem contar com proteção policial e o atendimento psicológico que precisam para enfrentar este gravíssimo problema”, afirmou.
Sob o comando da delegada Silmara Marcelino, o espaço também oferece a Sala Rosa, que atende as mulheres vítimas de violência doméstica e em parceria com a Guarda Municipal realiza o patrulhamento da Lei Maria da Penha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui