Pegar o carro e partir para uma viagem de férias com a família ou amigos é garantia de diversão. Não importa se o destino é inédito ou já conhecido, motorista e passageiros costumam compartilhar momentos de lazer, experiências agradáveis e, também, muita bagagem.

Para que o excesso de bolsas não atrapalhe o conforto dos ocupantes e não comprometa o espaço interno dos veículos, o ideal é investir em malas de teto. Presas no rack ou, até mesmo, na longarina original do veículo, os maleiros utilizam o espaço superior como porta-malas.

“As malas de teto são a melhor opção para levar bagagem durante a viagem, uma vez que são impermeáveis, possuem zíper invisível para fechamento, além de serem presas ao veículo com as correias de instalação. Toda a bagagem fica segura e protegida”, explica a gerente Comercial e de Marketing, Emanuella Santos.

Mas antes de comprar o acessório, é necessário consultar o manual do carro para saber qual o modelo ideal e as dimensões adequadas para cada veículo, assim como o limite de peso suportado.

Tais cuidados são necessários para não impactar negativamente na aerodinâmica do veículo, o que acarreta em gastos maiores com combustível, além de não prejudicar a estabilidade da direção, contribuindo para o risco de acidentes.

Tipos de mala de teto

Existe no mercado três modelos de mala para teto com capacidade de 339 (extensível a 453 litros), 368 e 425 litros. São impermeáveis, possuem zíperes e velcros para fechamentos, que são fáceis de colocar e prender sobre o teto do carro.

Há modelos com tecnologia antitempestade e com isolamento térmico, protegendo do frio e do calor. Todas as malas de teto são dobráveis. Assim, quando não estiverem em uso, podem ser guardadas no porta-malas, sem ocupar muito espaço muito diferente dos bagageiros rígidos que estão no mercado.

Fonte: Linha Fina Assessoria de Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui