A construção do Hospital de Campanha de Mogi das Cruzes segue em ritmo acelerado. Os trabalhos atuais estão concentrados na implantação de dois blocos de enfermaria, sendo que um deles está 100% coberto. O equipamento hospitalar de retaguarda está sendo erguido na avenida Cívica, e não na área interna do Ginásio Municipal de Esportes, no Mogilar, por questões técnicas importantes como a capacidade de abrigar um número maior de leitos e a possibilidade de instalar aparelhos de ar-condicionado e outros itens obrigatórios para o cuidado dos pacientes.

Os estudos técnicos fazem parte do planejamento estratégico elaborado nas últimas semanas pelo Comitê Gestor do Coronavírus. “A avenida Cívica garantirá praticamente o dobro de leitos em relação à área interna do Ginásio. Além disso, dois pontos que preocupavam muito nossa equipe técnica foram a dificuldade de instalação de ar-condicionado no espaço interno do Ginásio e a existência de vários espaços abertos que favorecem a entrada de animais, como pombos”, explica o prefeito Marcus Melo.

Na avenida Cívica, a construção do Hospital de Campanha é realizada em várias frentes. Uma delas é a implantação dos dois blocos de enfermaria, um deles já coberto e com a montagem do piso e o outro em fase de cobertura e fechamento lateral em lonas. “Também já estão em andamento todas as estruturas externas necessárias para passagem das redes de energia elétrica, água e esgoto”, adianta o secretário municipal de Planejamento, Cláudio Rodrigues.

Outra estrutura em andamento é a passarela de interligação entre o Ginásio Municipal de Esportes e o Hospital de Campanha. E parte dos equipamentos de ar-condicionado já foram entregues. Os serviços de implantação estão sendo executados pela Fast Engenharia e o custo é de R$ 2,8 milhões. O prazo de instalação é de 15 dias e os serviços foram iniciados em 1º de abril. 

O Hospital de Campanha terá capacidade para 200 leitos de retaguarda com atendimento para casos leves e moderados de Covid-19 que serão encaminhados pelo Hospital Municipal de Mogi das Cruzes e outras unidades referenciadas pela Secretaria Municipal de Saúde, públicos e privados. O atendimento será realizado por profissionais de saúde que serão contratados em breve por instituição de saúde especializada. Os detalhes estão sendo finalizados e serão amplamente divulgados nos próximos dias. 

CASOS

Mogi das Cruzes registrou, até 17 horas desta segunda-feira (06/4), 366 notificações suspeitas de Covid-19, das quais 51 casos foram confirmados positivos, 213 foram descartados (124 negativos e 89 sem coleta) e 102 aguardam resultados de exames. O número de óbitos também subiu. Entre os novos casos confirmados estão duas vítimas fatais, subindo para quatro o número de óbitos registrados na cidade. Uma senhora de 70 anos faleceu no sábado e um homem de 74 anos faleceu nesta segunda-feira, ambos com histórico de doenças pré-existentes. 

Secretaria de Saúde