Por Lucas Augusto

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (27) que a quarentena será prorrogada até o dia 15 de Junho, 15 dias além da última restrição, que terminaria neste domingo (31).

Além disso, apresentou 1 plano de saída da quarentena que conta com 5 fases diferentes de flexibilização e abertura progressiva da economia, que entrará em vigor a partir do dia 1º de Junho. Cada cidade terá um nível diferente de reabertura, de acordo com os indicadores de saúde do município.

O chamado Plano São Paulo classifica cada fase das regiões por uma cor, seguindo os critérios definidos pela secretaria estadual da Saúde e pelo Comitê de Contingência para Coronavírus. Por se enquadrar na fase vermelha, a região do Alto Tietê permanece somente com o funcionamento dos serviços essenciais.

Essas são as fases e suas classificações:

Fase 1, vermelha: alerta máximo, funcionamento somente dos serviços essenciais;

Fase 2, laranja: controle, possibilidade de abertura com restrições;

Fase 3, amarela: abertura de mais de setores;

Fase 4, verde: abertura de um número ainda maior de setores em relação à fase 3;

Fase 5, azul: normal/controlado – todos os setores podem funcionar, mas mantendo medidas de distanciamento e higiene.

“Ela [flexibilização] será possível nas cidades que tiverem redução consistente do número de casos, disponibilidade de leitos em seus hospitais públicos e privados e estiverem obedecendo o distanciamento social nos ambientes públicos, além da disseminação e do uso obrigatório de máscaras”, disse Doria.

Seguindo o plano, esses são alguns pontos que possibilitam a flexibilização:

– Cidades que tiverem disponibilidade de leitos de UTI na rede pública e privada;

– Redução no número de casos da doença;

– Manutenção do distanciamento social nos ambientes públicos;

– Uso obrigatório de máscaras.

Plano São Paulo: https://www.saopaulo.sp.gov.br/wp-content/uploads/2020/04/Coletiva_22042020_EA-v5-1.pdf