Em recuperação, Izidro comenta sobre Segurança Pública e caso de jovem morto em Ferraz

0
535

Após ser baleado, ex-prefeito de Ferraz se recupera longe dos holofotes para preservar família

José Izidro Neto, ex-prefeito de Ferraz de Vasconcelos, levou um tiro no peito durante uma tentativa de assalto no último fim de semana, quando foi abordado por dois criminosos em um semáforo da Radial Leste, na Parada XV de Novembro, região de Itaquera. Izidro foi socorrido e levado ao Hospital Santa Marcelina, onde permaneceu durante 24 horas em observação. O tiro não atingiu nenhum órgão vital e o ex-prefeito se recupera em casa.

Na segunda-feira (3), a Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos homenageou com uma moção de aplauso, soldados do 4º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (4º BAEP) por apreenderem um elemento menor de idade na manhã de sábado, dia 1º, na Vila Princesa Isabel, em Guaianases, envolvido no crime. Os policiais chegaram ao acusado após denúncia anônima e de um carro (Corola prata) abandonado numa rua do bairro.

Em regime de repouso em sua residência, mas sem restrição de atividades, Izidro concedeu entrevista por telefone ao Cenário. Confira:

Como está sendo a recuperação?

Eu estou bem, graças a Deus. O projétil ia na direção do coração e isso está registrado na tomografia e felizmente ele tomou uma região próxima, abaixo do pescoço, mas não trouxe grande incômodo. Apenas fiquei em observação lá [Hospital Santa Marcelina], durante 24 horas e em seguida já fui liberado. Estou fazendo repouso, mas sem nenhuma dificuldade de conversar, de comer, de dormir.

Você acredita que esta situação tem alguma ligação política ou aconteceu ao acaso?

Pela abordagem, pela forma como fizeram, também pelo armamento, calibres 32 e 38, provavelmente tenha sido assalto mesmo, até porque deram apenas um tiro. Eu também acabei atirando no revide, simultâneo, mas pela forma como agiram e por estarem usando um veículo que estava sendo roubado e com a vítima ainda presente, creio que foi ao acaso. Se não me engano, eles estavam em quatro, um que me abordou, outro que abordou minha esposa e outros dois com a vítima do Corola. Acredito que a ideia deles era nos levar para sequestro relâmpago, caixa eletrônico, algo do tipo.

Como foi a reação da sua filha, que você estava a caminho da rodoviária para busca-la, ao saber da notícia?

Tinham dois hospitais mais próximos, eu preferi ir no Santa Marcelina que tem uma estrutura melhor. Então eu tive que ligar para minha esposa, que ficou no local, para avisar que eu estava neste hospital. Pedi pra ela aguardar onde estava. Já minha filha, eu passei o telefone e o hospital ligou pra ela. Quando soube, ela ficou apavorada, a princípio não acreditou, até ligou no hospital e confirmou. Ela ainda estava em São José dos Campos, demorou pra chegar e foi conversando com o enfermeiro e ele a informou que eu faria tomografia, foi quando ela ficou mais calma, pois quando a situação é grave já entra em cirurgia, como o enfermeiro disse que eu estava fazendo exame, ela ficou mais tranquila, pois ela já conhece esses procedimentos.

Você chegou a atirar nos indivíduos, certo?

Sim, eu estava esperando o momento certo para não colocar a vida da minha esposa em risco, eu tentei retarda-lo ao máximo, conversei bastante com o meliante, até que tentei fazer a abordagem e outro individuo, que estava com minha esposa, percebeu e alertou que eu estava armado, imediatamente ele atirou. Em seguida, ele se afastou, com o susto do próprio tiro e eu revidei, mas acabei não atingindo-o. Em seguida eles correram, cada um deu um tiro, mas não saíram, coisa de Deus mesmo. Entraram no Corola e saíram rapidamente.

Os policias conseguiram efetuar a prisão do suspeito envolvido no seu caso, mas, na última semana, tivemos um crime de latrocínio em Ferraz e até agora não houve nenhuma prisão. Quer comentar a situação?

O que aconteceu foi que o menor apavorado entrou em um bar e o questionaram porque ele estava tão nervoso. Ele respondeu que havia matado um policial. Então, pessoas que estavam no comércio ligaram no 190 e isso facilitou a ação dos policiais. Em relação a Ferraz, as investigações estão bem adiantadas, tenho conhecimento disso.

Mande um recado aos munícipes que se solidarizaram e enviaram votos de carinho por sua recuperação

Nós, que moramos na periferia, em Ferraz, Guaianazes, precisamos de uma intervenção forte da Polícia Militar (PM). No nosso município, só temos uma Companhia, Suzano possui quatro e um Batalhão, Mogi também possui quatro e um Centro Tático Aéreo (CTA), além de vários órgãos, como Delegacia de Homicídio e da Mulher. Em Ferraz, temos apenas uma Delegacia e fazemos divisa com várias cidades com alto índice de criminalidade. Onde eu fui atingido, nós perdemos um colega, há um ano. O Datena me ligou a semana inteira querendo fazer uma matéria naquele local, mas eu preferi não me expor. Eu lamento que falte intervenção da PM na Zona Leste, em Ferraz de Vasconcelos. Precisamos de um investimento maior. O Governo precisa colocar a questão de Segurança Pública como prioridade. Até lá, nós que moramos na periferia vamos continuar passando por isso.

 

 

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.