Lei do farol ainda gera dúvida nos motoristas do Alto Tietê

0
699

Rodovias que têm trecho urbano exigem atenção.
DER diz que instalou placas informativas sobre medida.

O Alto Tietê tem muitas rodovias e, com o crescimento das cidades, muitas estradas passaram a ser avenidas. Elas ligam um ponto ao outro dos muncípios.
E é justamente essa característica que ainda confunde os motoristas na hora de ligar o farol baixo do veículo nas estradas, mesmo de dia.

Há um mês a lei do farol aceso durante o dia em rodovias voltou a valer, mas tem gente que não sabe onde é um trecho urbano e em que ponto passa a ser uma rodovia. Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), a lei é válida somente nos trechos onde há sinalização.“Eu já ligo o farol quando saio de casa para não correr nenhum risco”, afirma a comerciante Katia Hirano.

Em Mogi das Cruzes, Avenida Miguel Gema, no bairro do Socorro, é o trecho urbano da Rodovia Mogi-Salesópolis. Apenas no Km 58, existe uma placa de trecho sob jurisdição do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). E só em 1,5 quilômetro o motorista encontra uma placa que orienta sobre o uso do farol durante dia. Muitos veículos circulavam pelo trecho com o farol apagado. “Eu acho que falta sinalização porque, por enquanto, eu ainda não vi não. Multar, multa”, diz o trabalhador rural Fernando de Oliveira.

Seguindo por mais 15 km até Biritiba Mirim  nenhuma outra sinalização foi encontrada no trecho sobre o uso do farol de dia. Como a cidade é pequena, a estrada vira uma grande avenida para ir de um bairro ao outro. “Não tenho ideia de onde começa e termina o trecho urbano. Não tem sinalização nenhuma, como você vai saber”, questiona o motorista Adriano Pereira.

Assim como na Mogi-Salesópolis existem outras estradas que emendam com trechos urbanos. A Rodovia Dom Paulo Rolim Loureiro, conhecida como Mogi-Bertioga, é uma continuação da Rua Doutor Deodato Wertheimer em Mogi das Cruzes. A placa sobre o farol está apenas perto do posto da Polícia Rodoviária Estadual.

A lei entrou em vigor em julho deste ano, mas em setembro foi suspensa pela justiça já que nem todas as rodovias do País estavam sinalizadas adequadamente sobre o uso do farol baixo de dia. Outro motivo é que muitos motoristas estavam confundindo ruas e avenidas com as próprias estradas. A partir de outubro a lei voltou a valer, mas apenas para as rodovias que tenham sinalização informando sobre o uso do farol baixo durante o dia. A multa para quem descumprir a lei é de R$ 130,16 e quatro pontos na carteira.

Na Rodovia Henrique Eroles, conhecida como Mogi-Guararema no bairro do Botujuru, o motorista encontra uma placa do limite de onde é a jurisdição do DER. O aviso sobre a obrigatoriedade do uso do farol está logo depois da placa informando o nome da estrada. A lei foi criada para diminuir os acidentes, mas em uma região onde avenidas e rodovias se confundem sobram dúvidas na cabeça dos dos motoristas.

O DER informou que  a lei do farol baixo aceso não regulamenta ou padroniza a sinalização nas rodovias estaduais. Segundo o departamento houve a instalação de placas informando o motorista sobre a nova lei e alertas são veiculados em painéis de mensagens que existem nas rodovias. Os motoristas podem ter informações e tirar dúvidas sobre os trechos rodoviários fiscalizados pelo telefone 0800-055-5510.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.