São Paulo, março de 2018 – A Feira na Rosenbaum estreia seu 2018 com a Feira Colorida, que acontecerá pela primeira vez na Unibes Cultural. Uma edição cheia de energia tropical que ocupará com design, moda, arte e gastronomia dois espaços do prédio que é um marco arquitetônico e cultural da cidade de São Paulo. O coletivo carioca Carandaí 25 soma uma curadoria de marcas de vestuário e acessórios ao evento, como Helena Pontes, Mocha e Isla. Serão mais de 70 marcas e projetos independentes e autorais para descobrir, e conhecer de perto seus criadores.

O projeto é reconhecido pela alta gama de produtos que vai desde objetos de design trabalhados em madeira e porcelana, como visto nas marcas Woodskull, Toco, Hary, Greghi Design e Renata Miwa; jóias e acessórios das marcas Montageart, Janice Perez, Duda Bradley, Natacha Barbosa e Jana Favoreto; móveis e objetos de decoração de Paola Muller, Eduardo Borém, Achados de Brianti e Perron Ramos.

Na Feira também poderão ser encontrados artigos de papelaria, mesa e arte e cheiro das marcas Schizzibooks, EME, Estela Miazzi e M.o.a Estúdio, Marcos Bazzo, Saboaria Brasil. Nessa edição o Espaço Gastronômico conta com Café Santa Mônica, No Pote Doceria Artesanal , Pão de Queijo da Mineira, Sorvete Maní e outras 30 opções para comer na feira ou em casa.

+ Sobre a Feira na Rosenbaum
A primeira edição da Feira na Rosenbaum aconteceu em um momento em que designers estavam começando a sair de grandes marcas e irem para seus próprios ateliês. A Feira cresceu junto com esses profissionais e com esse movimento independente de artistas e designers de levarem seus trabalhos para públicos para além de seus ateliês – muitas vezes localizados em suas casas.
A Feira, além da curadoria de expositores que busca trabalhos alinhados com o propósito de expor a alma brasileira, cria uma atmosfera multissensorial em cada edição, que inclui uma narrativa visual, sabores, música, cheiros e encontros em uma energia de casa, de acolhimento.
“A Feira na Rosenbaum tem uma curadoria forte. A primeira Feira que eu fiz achei muito interessante em expor os produtos de todos os artistas de forma ‘misturada’. Era uma delícia! Eram muitas coisas novas e cada cantinho conversava os objetos entre si. Não era apenas o espaço: sempre existiu uma conexão entre os expositores e uma narrativa visual na Feira – a criação de uma atmosfera. Criamos uma rede entre os expositores, onde um dá apoio ao outro, cuida do espaço do outro. Uma energia muito boa, de fazer juntos”. Cris Rosenbaum.
 + Sobre Cristiane Rosenbaum
Cristiane Miranda Rosenbaum estudava direito quando teve os primeiros contatos com a moda trabalhando em lojas como Fórum, Zoomp e Carmin. Trancou a faculdade e começou a estudar moda, passando pela primeira turma de moda do SENAC e depois pela Saint Martin – University of the Arts London. De volta ao Brasil passou a trabalhar como assistente de estilo na marca Huis Clos. Como estilista e coordenadora de estilo colaborou com marcas como Atitude, Side Walk, Siberian, Arezzo e Naka. Em 2003 montou, junto da sócia Tatyana Takasse, a marca de roupas infantis Santa Paciência. Em 2012 organizou a primeira Feira no escritório de design Rosenbaum com 100% da renda revertida para o projeto A Gente Transforma, criado pelo designer Marcelo Rosenbaum. A Feira seguiu um caminho por esses 5 anos de história guiada pelo olhar da Cris, que foi organicamente encontrando a identidade e o lugar onde a Feira deveria estar. Hoje, Cris continua se dedicando a produzir a fazer a curadoria de expositores da Feira na Rosenbaum.