Suspeitos estariam utilizando entorpecentes e depredando a escadaria de acesso ao Paço Municipal Firmino José da Costa
 
Agentes da Guarda Civil Municipal (GCM) de Suzano detiveram em flagrante, na noite de segunda-feira (22/10), cinco jovens, com idades entre 16 e 21 anos, suspeitos de utilizarem entorpecentes e picharem a escadaria de acesso ao Paço Municipal Firmino José da Costa, no centro. Os acusados foram encaminhados à Delegacia Central, onde foi lavrado Boletim de Ocorrência (BO) e adotadas as medidas cabíveis pela Polícia Civil.
 
Segundo o comandante da GCM, Sérgio de Assis Andrade, no local também foram apreendidos um caderno com ilustrações e formatos das pichações, um celular com fotos de diversos pontos vandalizados na região e um recipiente de plástico com tinta azul. “Estamos reforçando as patrulhas para conter casos de pichação na malha central e nos bairros da cidade. Inclusive, intensificamos nosso monitoramento, que é empreendido de forma constante por nossos agentes”, disse.
 
O líder da corporação suzanense lembrou também que, no mesmo dia do flagrante, abrigos em pontos de ônibus que passaram por revitalização recentemente foram encontrados pichados e com cortes nos adesivos de imagens da cidade. “Ao todo, oito abrigos ao longo da rodovia Índio Tibiriçá (SP-31) e um aqui no centro estavam pichados na cor azul. Desta forma, concentramos nosso patrulhamento para deter pessoas que praticam quaisquer atos de vandalismo”, afirmou. Os pontos passarão por nova revitalização na próxima semana. 
 
A Secretaria Municipal de Segurança Cidadã, que coordenada a GCM, informou que dará continuidade ao caso com respaldo na lei municipal n° 5.092, de 13 de setembro de 2017, que estabelece multa ao autor da pichação. “Vamos recolher todos os documentos emitidos pela Polícia Civil e enviar ao Departamento de Fiscalização de Posturas para que sejam realizados os procedimentos administrativos, aplicando multa aos infratores no valor de 1,5 mil UFMs (Unidade Fiscais do Município), caso se comprove a acusação”, concluiu o comandante Assis.