A Escola Municipal Professora Liuba Pizzolito, do bairro do Caulim, em Palmeiras, recebeu nesta segunda-feira (26/11) atividades em referência ao mês em que se comemora o Dia Nacional da Consciência Negra. Mais de 200 estudantes da unidade puderam conferir apresentações de dança, música, palestras e até participar de jogos e dinâmicas sobre o tema. Este foi o primeiro evento da programação prevista para diversas escolas de Suzano em dezembro.

 

As atividades ocorreram durante todo o dia. Uma delas foi conduzida pela professora e escritora convidada Alcidéa Miguel. Ela, que é uma das autoras do livro “Cadernos Negros” e membro da Academia de Letras da Grande São Paulo, realizou diversas abordagens sobre o tema da Consciência Negra por meio de palestras, dinâmica e música.

 

“Falei sobre diferenças e discriminação e as crianças absorveram muito bem as informações. Foi uma iniciativa muito importante da Secretaria de Educação de Suzano, pois é difícil uma escola abrir espaço tão extenso para abordarmos sobre conscientização. Isso representa liberdade e é um diferencial para as crianças que vão levar esse importante conceito para suas vidas”, ressaltou Alcidéa.

 

Apresentações de dança e jogos no tema africanidade também fizeram parte da programação com o Grupo Morekumbá (que significa criança, amor e luz, forte e valente), formado por 15 alunos, da 7ª série ao 9º ano, e três professoras da Escola Estadual José Camilo de Andrade, de Suzano.

Na oportunidade, os estudantes da unidade municipal, assistiram a três apresentações de dança, nos ritmos africanos xangô e Iansã, além de uma coreografia em homenagem a escritora negra já falecida Carolina de Jesus.

 

Entre uma atração e outra, as professoras Taís Honório, Janete Mendes e Kelly Cristina Pereira da Silva, contextualizaram o tema com as crianças abordando sobre metodologia africana, sua história e identidade. Por fim, as crianças também participaram de jogos africanos, como o teca-teca, penga-penga, terra-mar e escravos de Jó.

 

De acordo com o secretário de Educação, Leandro Bassini, até o final do ano letivo, que será em 21 de dezembro (sexta-feira), mais escolas municipais devem receber atividades sobre o tema. “Conscientizar é falar sobre, ouvir histórias, fazer uma roda de conversa. Esse é o espírito. Que a criança entenda que faz parte dessa história e possa ajudar a construir uma outra diferente”, completou Bassini.

Fonte: Departamento de Comunicação de Suzano