Por Kemily Magela 

O setembro amarelo, mês mundial da prevenção do suicídio, foi uma iniciativa iniciada em 2015, pelo Centro de Valorização a Vida(CVV), o Conselho Federal de Medicina (CFM) e também a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), com a intenção de sensibilizar e conscientizar a população sobre a questão.  O dia 10 de setembro, foi escolhido para representar oficialmente O Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, e a cor amarela, se aderiu à campanha representando a vida, para iluminar e estampar a intenção da causa, asseverando assim, maior visibilidade.  Costuma-se, este mês, iluminar lugares públicos com a cor, além, de empresas, redes sociais e pessoas contribuintes, distribuí-la por todos os cantos com mensagens de apoio e prevenção “VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO’’ “FALAR É A MELHOR SOLUÇÃO’’ .

Ao longo do mês, o CVV realiza diversas campanhas em estados do país, para conscientizar a sociedade da importância de falar sobre o suicídio, que por sua vez, era um tabu, mas após as campanhas, se entende que falar sobre a prevenção, é um processo educativo, e dar ênfase do quanto os problemas sociais pode levar uma pessoa a tirar a própria vida, deixa a alerta para o cuidado com próximo, a empatia, e até mesmo, entender os sinais de uma pessoa depressiva e conseguir ajudá-la.

O CVV indicou que 32 suicídios ocorrem diariamente nos pais, em média, uma morte a cada 45 minutos, a maioria, na faixa etária entre 15 a 35 anos, além disso, a Organização Mundial da Saúde aponta que nove entre dez casos, poderiam ser prevenidos através do diálogo.

A organização dedicada à prevenção do suicídio Suicide Awareness Voices of Educations (SAVE), fez algumas alertas sobre comportamento suspeito de alguém suicida: dormir pouco ou muito, mudanças extremas no humor, demonstrar raiva ou desejo de vingança, agir com ansiedade, dizer que não tem propósito para vida ou planos para o futuro, consumo excessivo de álcool e outras drogas, perder interesse em atividades que antes tinha prazer, etc.

Projetos como o SETEMBRO AMARELO é de extrema importância para que se possa ter um diálogo e assim conseguir ajudar e conscientizar a população, prevenindo o ato.