De acordo com parlamentar, a Secretaria de saúde tem uma gestão falha, onde faltam, médicos, remédios, estrutura física e operacional, reflexo disso, é a superlotação do Hospital, assunto que também discutido na ocasião

Por assessoria do parlamentar

A audiência pública promovida pela Comissão de Saúde da Câmara Municipal, presidida pelo vereador Renato Ramos de Souza (Cidadania), o Renatinho Se Ligue, aconteceu nesta terça-feira, dia 3. A reunião contou com a presença de coordenadores da Secretaria Municipal de Saúde, membros do Conselho Municipal de Saúde, sociedade civil, Coordenador do Conselho Estadual e o Diretor do Hospital Regional de Ferraz, Dr. Luiz Antônio do Nascimento.

No encontro, o principal assunto discutido foi sobre o atendimento diário no Hospital Regional e nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município, o que pode ser melhorado e algumas soluções e estratégias para tal. Além disso, a questão da capacitação de profissionais em casos suspeitos de Coronavírus também foi abordada.

De acordo com Renatinho, a Secretaria de saúde tem uma gestão falha, onde faltam, médicos, remédios, estrutura física e operacional, reflexo disso, é a superlotação do Hospital, assunto que também discutido na ocasião.

O parlamentar defende uma política de prevenção primária que engloba ações para evitar a ocorrência da doença e exposição a fatores de risco. “Investir e incentivar práticas de prevenção é uma das formas mais baratas e eficazes de cuidar da saúde das pessoas. Uma consulta ou exames de rotina são exemplos disso. O problema é que o gestor da pasta, não enxerga assim, ou se enxerga, não toma atitudes para mudar esse cenário” informa Renatinho.

A audiência serviu também para formar uma comissão técnica composta por cinco representantes da pasta local e cinco do Hospital Regional, a primeira reunião do grupo de trabalho já foi agendada para o dia 30 do mês corrente, às 9h, na sede da Secretaria Municipal de Saúde.Por fim, Renatinho reforça que para solucionar problemas, é preciso planejamento e principalmente, diálogo. “Os gerentes dos postos precisam conversar com a secretaria de saúde, assim como a secretaria precisa de comunicar com o Regional, o responsável pelo SAMU e inclusive com as demais pastas do executivo. Não adianta um jogar a culpa no outro, e ninguém resolver nada. É preciso arregaçar as mangas e fazer com que as coisas melhorem e as pessoas sintam isso na prática” concluiu o parlamentar.