Por Priscila Gambale ( Mestre na área de Educação, pedagoga e psicopedagoga )

Visando ter menos prejuízos nos dias letivos, muitos municípios optaram por adiantar o recesso escolar que estava previsto no mês de julho, para o mês de abril, por conta da pandemia do coronavírus (COVID-19). De um lado, as escolas encontram-se preocupadas com a aprendizagem dos alunos e procuram formas de minimizar os prejuízos pedagógicos, do outro lado, as famílias buscam alternativas para enfrentarem esses dias da melhor forma possível.

Diante da realidade que estamos vivendo, relacionada a pandemia do coronavírus, muitas famílias estão com dificuldades para entreter nossas crianças e adolescentes, que estavam acostumados a se relacionar com outras pessoas, principalmente no contexto escolar e hoje se encontram no “isolamento social” sem o contato físico com outras pessoas.

Pensando nisto, é preciso ter um olhar atento quanto as mudanças de comportamento e nos sentimentos que são expressos neste momento de “confinamento”. Vale destacar que esses sentimentos podem ser expressos de várias formas, por isso a importância da atenção.

Neste período é normal que aconteça, assim como a alteração de humor, ansiedade, vontade de ficar isolado e sozinho, sendo assim, diálogo, orientação, e atenção são essenciais.

Desta forma, recomenda-se que as famílias criem rotinas de interação com atividades que incentivem e promovam a aprendizagem, tais como jogos e brincadeiras que de forma lúdica, auxiliam no desenvolvimento do raciocínio lógico e da criatividade, além dos vínculos socioafetivos estabelecidos.

Outra opção é o resgate das brincadeiras comuns da infância dos adultos, que facilitam a interação, proporcionam a ampliação cultural, traz novas experiências e conhecimentos das brincadeiras de outras épocas. Desta forma, evita-se também que as crianças e os adolescentes fiquem presos ao mundo virtual.

Aproveite esse momento em que o “tempo”está sobrando e curta mais a família, conversem bastante, pois todos nós, estamos enfrentado essa fase difícil e através do amor, carinho, escuta, interação e das brincadeiras iremos juntos passar por essa fase e levaremos todo o aprendizado para o futuro.