Poeta: Clovis Santos

Dos tropeiros de São Paulo que aqui passavam indo e vindo rumo a capital do império, Rio de Janeiro.

No córrego de águas límpidas em um local chamado Tanquinho paravam para descansar e beber água no Meeiro. E deste intenso movimento e paradas de costume pouco a pouco foram dando origem ao vilarejo

A família Leite aqui fez sua moradia e descobriu primeiro que o clima e o solo eram propícios para o cultivo de frutas e legumes. Assim também atraíram famílias de imigrantes que aqui se estabeleceram. Os Italianos Paganucci e Temporim foram os pioneiros, depois vieram os Andere, Correia, Zenker e os Zanchetta com o passar do tempo.

A cidade rural que nascia mas que também atraia as indústrias em seu solo. Em 1903 começou a indústria de lixas de Gothard Kaesemodel e o trem começou a passar por aqui – de São Paulo a Mogi.

Em um caminho sem paradas trouxeram um desejo e sonhos vislumbradas e Dr. Pedro Foschino, Hermann Telles e Arturo Guarnieri assim criara a CIA FOSCHINI que depois seria chamada de Fazenda Casa Branca e nelas preveram que o trem traria grandes progressos e valorizaria a venda de terras.

Fizeram então uma parada, em 29/07/1926 nascia a Estação Ferraz de Vasconcelos, homenagem póstuma ao engenheiro que projetou a estação, um grande progresso e com muita luta, comprando passagens sem usar, instalando luminárias que com o passar do trem acendia. Conseguiram manter a estação que daria nome a cidade que crescia.

Em 1947 outra grande indústria veio engradecer a história e seus feitos a indústria metalúrgica Baxmann e cujo dono seria em um futuro próximo o primeiro prefeito.

De 1926 a 1953 muitos passos foram dados até que se conseguisse ser aprovado a emancipação em 14 de outubro, nascia o município, que foi comemorado com muita emoção e da plantação de uva Itália pelo agrônomo Luciano Poletti em 1927 que aqui foi iniciada até chegar a intensa produção em 1942 pelo seu ajudante Sussumo Ussui e assim aos dois por méritos condecorada.

Fez a cidade ser conhecida nacionalmente como a Terra e o Berço da Uva Itália.

Que voltemos aos mesmos sonhos para a cidade que não para 67 anos de uma história que jamais será apagada.

Viva a história atrelada ao Progresso.

Parabéns
Ferraz de Vasconcelos!!!