O Alto Tietê avançou para a fase verde do Plano SP, conforme anúncio feito em 09 de outubro pelo Governo do Estado, e com isso terá maior flexibilização nos setores que estão em atividade, com destaque para comércio e serviços, agora com liberação para 12 horas de funcionamento e capacidade de atendimento ampliada para 60%. As mudanças estarão autorizadas pelo Governo do Estado a partir do sábado (10/10), porém estão condicionadas a publicação dos decretos municipais.

A direção do CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê  disse que a classificação para a fase verde atende a expectativa dos gestores, já que a região tem reduzido os indicadores de casos e óbitos de Covid-19, o que possibilita um maior controle da pandemia.

“Há um esforço de todos no enfrentamento da doença e os indicadores estão em curva decrescente há algumas semanas, o que dá margem para que mais alguns passos sejam dados em direção à normalidade. É importante reconhecer que existe um maior controle da pandemia, mas o vírus continua em circulação, o que faz necessário a manutenção de todos os cuidados preventivos e ainda algumas restrições”, avalia o presidente do CONDEMAT, prefeito Adriano Leite.

A região tem registrado uma redução significativa nas internações e óbitos por Covid-19. Nos últimos 14 dias, as internações ficaram no patamar de 17,8 para 100 mil habitantes e os óbitos em 4,5 para 100 mil pessoas. No período anterior, a proporção era de 20,2 para as internações e de 9,4 para os óbitos.

Na atualização apresentada nesta sexta-feira, o Governo do Estado anunciou novas mudanças no Plano SP, entre elas, a reintegração das seis sub-regiões de saúde da Grande São Paulo. Com isso, o Alto Tietê (sub-região Leste) voltou a ser classificado junto à Região Metropolitana. A evolução da pandemia também passou a considerar o total de novos casos, internações e óbito dos últimos 28 dias e os 28 dias anteriores. Com base nesses novos parâmetros, a Grande SP apresenta uma variação de 0,67 em novos casos; de 0,78 de internações; e de 0,76 em óbitos. Na proporção por 100 mil habitantes,  as internações estão em 38,9 e os óbitos em 4,4.

“A separação de São Paulo e outras regiões foi importante no auge da pandemia porque as redes de saúde apresentam muitas diferenças. Agora, na fase de flexibilização, é importante que a Grande São Paulo tenha uma uniformidade porque as sub-regiões são grudadas e as pessoas circulam entre elas. Agora é  fundamental que todas as sub-regiões mantenham os esforços para afastar o risco de retroceder de fase”, alerta o presidente do CONDEMAT.

Eventos

A fase verde também permite maior flexibilização nas atividades culturais, convenções e eventos sociais, de negócios e culturais. Além da capacidade de 60%, também estará liberado o público em pé, desde que respeitado o distanciamento e os protocolos estabelecidos.

“Cada cidade está estabelecendo os seus protocolos e tem autonomia para definir a liberação desses eventos, tanto na esfera privada como nos equipamentos públicos”, explica o presidente do CONDEMAT.

Atividades que gerem aglomeração, tais como festas, baladas, presença de torcedores em eventos esportivos e grandes shows com público em pé continuam proibidas.