Instituída por unanimidade pelos parlamentares da Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, a Comissão Processante (CP) que trata sobre as denúncias da Operação Legis Easy, do Ministério Público, em sua primeira ação, emitiu notificação aos vereadores investigados: Antonio Lino (PSD), Carlos Evaristo (PSB), Chico Bezerra (PSB), Diegão Martins (MDB), Jean Lopes (PL) e Mauro Araújo (MDB) devem apresentar suas defesas à Comissão num prazo de dez dias.

A notificação é uma representação ao pedido de cassação de mandato dos vereadores condenados pelo Ministério Público na Operação Legis Easy, deflagrada em setembro de 2020, que investiga o desvio de recursos públicos da saúde e Semae.

Além disso, Caio encaminhou documento à presidência do Legislativo, solicitando urgência e as devidas providências no despacho das notificações aos parlamentares envolvidos.

Os vereadores terão o prazo de dez dias para produzirem provas e listar testemunhas, além de apresentarem defesa prévia por escrito, a partir do recebimento da notificação protocolada. Como presidente da comissão e autor do disparo da notificação, Caio vê necessidade de celeridade nas próximas ações, já que a comissão tem o prazo de 90 dias para emitir relatório final.

“Nosso primeiro passo foi dado, protocolamos as seis notificações aos vereadores envolvidos na Operação Legis Easy e solicitamos ao Presidente do Legislativo que tome as providências cabíveis para que essas notificações cheguem aos vereadores. Vamos cobrar celeridade em todo o processo”, explicou Cunha.