País agora ocupa posição 84 entre 189 países analisados em termos de Desenvolvimento Humano, apesar de índice ter tido uma leve melhora. Média brasileira é menor do que a de Chile, Argentina, Uruguai e Colômbia; ranking é liderado pela Noruega.

O Brasil caiu cinco posições no ranking de Índice de Desenvolvimento Humano em 2019, quando comparado ao ano anterior, ainda que seu desempenho tenha tido uma leve melhora.

O resultado consta no Relatório de Desenvolvimento Humano, do Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (PNUD), divulgado nesta terça-feira (15).

Considerando os 189 países analisados, os brasileiros aparecem agora na posição 84, em vez da 79 – que ocupavam em 2018 após perder uma posição no ranking. Isso apesar de o índice ter subido de 0,762 para 0,765.

O resultado, porém, ainda mantém o Brasil no grupo de países com alto desenvolvimento humano.

Mas não há motivos para grande otimismo quando é feita uma comparação com países da América do Sul. A média brasileira é menor do que a de Chile, Argentina, Uruguai, Peru e Colômbia.

  • Chile (43) – 0,851
  • Argentina (46) – 0,845
  • Uruguai (55) – 0,817
  • Peru (79) – 0,777
  • Colômbia (83) – 0,767
  • Brasil (84) – 0,765
  • Suriname (97) –0,738
  • Paraguai (103) – 0,728
  • Bolívia (107) – 0,718
  • Venezuela (113) –0,711
  • Guiana (122) –0,682

Já em comparação com outros Brics, grupo de países emergentes do qual faz parte, o Brasil perde para a Rússia, mas aparece à frente de China, África do Sul e Índia.

Os três países que lideram o ranking de Desenvolvimento Humano são europeus: em primeiro lugar a Noruega, com Irlanda e Suíça empatadas em segundo. Veja abaixo a lista dos dez países com os melhores índices em 2019

  • Noruega (1) – 0,954
  • Suíça (2) – 0,946
  • Irlanda (3) – 0,942
  • Alemanha (4) – 0,939
  • Hong Kong (território semiautônomo da China) (5) – 0,939
  • Austrália (6) – 0,938
  • Islândia (7) – 0,938
  • Suécia (8) – 0,937
  • Singapura (9) – 0,935
  • Holanda (10) – 0,933

Já os três índices mais baixos foram obtidos por países africanos: Chade, República Centro-Africana e Níger.

Entenda o IDH

Até 1990, quando o IDH foi criado, o Produto Interno Bruto (PIB) era o principal indicador usado para comparar países. O problema é que o PIB é um número da dimensão da economia de um país, mas não traz nenhuma informação sobre outros aspectos da vida naquela nação.

No cálculo são computados três indicadores diferentes dos países:

  • A expectativa de vida;
  • A renda média per capita (divide-se o Produto Interno Bruto pela população);
  • Quantos anos as pessoas no país estudaram (esse componente é separado em dois: a média de anos que os adultos com mais de 25 anos estudaram e uma previsão de quantos anos as crianças antes da vida escolar deverão estudar)

índice do IDH varia entre 0 e 1. Neste ano, o Níger, o último país da lista, pontuou 0,377, e a Noruega, a primeira, ficou com 0,954.

Fonte: G1