O Japão declarou um estado de emergência limitado na capital, Tóquio, e três prefeituras vizinhas, nesta quinta-feira, para conter a disseminação do coronavírus, esperando que restrições menos rigorosas do que as impostas anteriormente eliminem as infecções.

O governo disse que a emergência de um mês vai durar de sexta-feira a 7 de fevereiro em Tóquio e nas prefeituras de Saitama, Kanagawa e Chiba, o que abrange cerca de 30% da população do país. As restrições centralizam o combate à transmissão em bares e restaurantes, que, segundo o governo, são as principais áreas de risco.

As restrições são menos severas do que as impostas em abril sob uma emergência que se estendeu até o final de maio. Naquela época, as regras eram nacionais e escolas e comércios não essenciais estavam quase todos fechados. Desta vez, as escolas não estão fechando.

O governo do primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, está tentando limitar os danos à terceira maior economia do mundo, ao mesmo tempo em que se esforça para derrotar o vírus de uma vez por todas, à espera da realização das Olimpíadas.

“A pandemia global tem sido mais dura do que esperávamos, mas tenho esperança de que possamos superar isso”, disse Suga em entrevista coletiva.

“Para que isso aconteça, preciso pedir aos cidadãos que vivam com algumas restrições.”

Alguns especialistas médicos disseram temer que o plano do governo para restrições limitadas possa não ser suficiente.

“Podemos precisar pensar sobre um estado de emergência em todo o país”, afirmou Toshio Nakagawa, presidente da Associação Médica do Japão, na quarta-feira.

ESTÍMULO

Suga disse que os danos à economia são inevitáveis, mas seu objetivo é proteger empregos e empresas com um pacote de estímulo de 70 trilhões de ienes (670 bilhões de dólares), que está sendo implementado.

O Japão, embora menos seriamente atingido pela pandemia do que muitos outros lugares, tem sido incapaz de controlar o vírus da mesma forma que alguns países da região, com uma contagem diária de mais de 7.000 casos pela primeira vez na quinta-feira, informou a mídia.

Tóquio, em particular, tem sido uma preocupação constante com seu registro de testes positivos saltando para 2.447 na quinta-feira, de um recorde de 1.591 no dia anterior.

Ao todo, o Japão soma 267.000 casos e quase 3.000 mortes.

As autoridades pretendem iniciar uma campanha de vacinação até o final de fevereiro.

Fonte: Terra