Que o ritmo da imunização contra a Covid-19 é lento, no país, pela escassez de vacinas qualquer cidadão minimamente informado tem conhecimento dessa situação de demora do Programa Nacional de Imunização (PNI). Agora, quando se observa o ranking de Ferraz de Vasconcelos no chamado “vacinômetro paulista”, o quadro é bastante preocupante e desalentador.

Afinal de contas, desde a última atualização nesta quarta-feira, dia 14, pela Secretaria de Estado da Saúde, a cidade ocupa a posição 630º dos 645 municípios paulistas. Na prática, os dados consolidados referentes à aplicação da primeira dose apontam que Ferraz de Vasconcelos imunizou 13.994 moradores, ou seja, apenas 7,1% dos seus 196.500 habitantes.

Diante desse levantamento nada animador, o vereador Claudio Ramos Moreira (PT) disse que em princípio a prefeita, Priscila Gambale (PSD) não pode ser responsabilizada por essa lentidão no processo de vacinação. Por isso, na visão do petista (foto), o único culpado pela baixa imunização até agora do povo brasileiro é o presidente, Jair Bolsonaro (sem partido).

Para ele, a chefe da nação desdenha da gravidade da pandemia desde o seu começo, em março do ano passado. No fundo, neste período, o líder maior do país influencia negativamente a população em geral ao negar essa triste realidade que já matou mais de 360 mil brasileiros, sendo 302 moradores de Ferraz de Vasconcelos. “Enfim, o presidente investe contra todas as medidas de prevenção a Covid-19”, diz.

Ainda, de acordo com o vereador, a troca constante de ministro de Saúde, no total, foram três substituições em menos de um ano que contribui para aumentar cada vez mais infelizmente a mortandade e, ao mesmo tempo, transforma o país no epicentro da doença no planeta. “O presidente não faz o dever de casa e a população brasileira paga o preço da incompetência instalada no Palácio do Planalto”, finalizou Claudio Ramos.

                                                           Extremos

No “vacinômetro paulista”, Itaquaquecetuba amarga a lanterna no total de pessoas imunizadas com a primeira dose. O município que possui 375.011 mil habitantes aplicou apenas 19.750 doses, isto é, 5,3% dos seus moradores. Já o primeiro lugar, fica com Serrana de 45.644 mil habitantes que imunizou 64,3% da população. Aliás, a cidade atingiu esse número por ter sido escolhida como modelo pelo Instituto Butantan.