Por Junior dos Anjos

       Mais um dia triste na história do Brasil, em tempos de pandemia. O país ultrapassou a triste marca de 400 mil óbitos pelo novo coronavírus. Cerca de 400 mil famílias choram pelos seus mortos, arrebatados em menos de um ano por causa da doença.

       Na tarde da última quinta-feira, 29 de abril, foram registrados em solo brasileiro 401.186 mortos, de acordo com os dados enviados pelos estados ao Ministério de Saúde e ao CONASS (Conselho Nacional de Secretários de Saúde).

       Segundo o CONASS, os estados brasileiros que mais registram óbitos por causa da doença são eles: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, respectivamente.

       De acordo com a Our World In Data, ligada à Universidade de Oxford, o Brasil é o 12º colocado no ranking mundial de vacinação, em relação às pessoas que foram imunizadas com a primeira dose da vacina.

       A Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen), entidade que representa todos os cartórios do país, calcula que uma em cada cinco mortes notificadas no Brasil, desde março do ano passado, é decorrente da doença. Eles também informaram através dos Registros Oficiais, que a primeira morte de COVID-19 ocorreu no dia 17 de março de 2020.

       O Brasil é o segundo país em óbitos acumulados, atrás apenas dos Estados Unidos, e também o segundo no registro de novas ocorrências do novo coronavírus na última semana, ranking agora liderado pela Índia.

       A taxa de letalidade mais que dobrou, passando de 2% no final de 2020, para 4,4%, da semana passada. Apesar dos números alarmantes, mais de 13 milhões de pessoas já se recuperaram da doença (Ministério da Saúde).