Na Vila abre o Comércio da esquina cedo para iniciar a venda do Pão, forma-se uma fila de Pessoas para pegar a primeira formada. Entre Bom dia e barulho de Caixa sendo aberto – E um jovem repondo Pacotes nas prateleiras surge algo inesperado. – Aparece um Indivíduo com um único propósito: Roubar! – Terminando toda aquela fila, ele se apresenta e anuncia o assalto; apenas três pessoas estão no mercado, uma morre, um entra em choque e o Dono do pacato mercadinho entra em luta corporal com o meliante.

Isso é recorrente acontecer, pessoas sem futuro; ou futuro incerto; – De quem será o amanhã?

A Rua mostra diversos caminhos, me instruiu a pensar em algo melhor. Me despertou para ver que a realidade é cruel e a Viela não pega Sol; – Os gritos silenciosos dos necessitados é tapado pelo sistema (progressista), não tendo ordem. Entram em acordos com o STF e a Polícia Federal e; por ter foro privilegiado se ausentam da Condenação, enquanto pessoas se tornam Réu do desprazer e dá falta de apoio.

É estranho isso acontecer. As prioridades não são inportantes – Hoje em dia quem assume o posto corretamente é Santo, e quem faz pelo Pais é ovacionado pelo Povo. Somos chamados de Pão com Mortadela por aceitar tudo isso. – Em meu discurso Ouço o Grito maternal:

– Suprindo a necessidade dos meus Filhos o resto não inporta!

Desprovida de conhecimento, por não ter tempo para criar um projeto de vida, elege o mais infiel por uma cesta básica farta no final do Mês. A vida está em jogo, é a necessidade mais simples que a mãe exige.

Desde pequeno convivi com o crime em casa, nasci entre ruínas que sobraram do passado, não sei se posso chamar isso de infância ou Faculdade infantil. Quando adulto consegui enchergar as montanhas e avistar o por do Sol. Criei um propósito para minha vida, me formei nas ruas, aprendi o que é amor, tive recordações do passado e quero me esforçar para criar um futuro com as propias mãos. Quem sabe alguem tenha consciência da degradação e reveja seus conceitos e apoia a evolução das Ruas.

Desde cedo pude ver minha mãe indo até um Clube perto de casa com uma carteirinha para pegar leite para fazer arroz-doce ou alguma coisa com o leite para nos alimentar. Pude ver a necessidade do pobre para suprir as necessidades mais simples como o propio sustento, e é inacreditável a invisibilidade que temos na sociedade. Creio que somos vestígios de mal feitos, obras inacabadas, muros mau construido e futuro incompleto.

Entra em ação a desigualdade, a privatização ganha força e apenas um projeto inconclusivo está em questão. A falta de efetividade vale a pena? – Se há democracia porque existem tantos desfavorecidos e sem voz? – O tradicionalismo dita que devemos constituir familia e trabalho formal; percebi com essa pandemia que deixaram de fazer o que pediam e fizeram o que desejavam sempre … Mentes brilhantes pulsaram para fora e criaram resistência contra o sistema.

Existe uma fase tradicional de crescimento para formação de um adulto. Creio que hoje em dia não tem formadores de opinião sobre si mesmo. Futuros incertos, conceitos de má indole que transforma os crescentes jovens em idiotas, assumirão graves problemas a frente. Os vestígios da sua insensatez causará dor e percas de anos de vida e vigor.

O entretenimento aliena e faz multidões estaguenar. Enchem a mente de conteudos impropios ou sem proposito algum, somente enchem os crânios de inadequação. Em um lar muitos jovens não têm seu mentor presente, seu Pai que poderia lhe ensinar diversas maneiras de superar as dificuldades da vida. Diversos jovens sofrem pela chamada “construção adaptada” onde procuram uma forma de se auto-impor. – Querem de alguma forma vencer na vida e esquecer o passado, sentem que alguem fala com eles dentro de si, na hora certa saberá quem está direcionando-os. A senha para destravar a mente perturbada por uma desordem é a Dona Maria que ora, que engole seco para trazer o pão de cada dia.

Quem saberá o que ela pensa – lavando a louça pensa. — lavando roupa quieta o filho não se importa, em sua mente um turbilhão de pensamentos, não dando vasão para emoções. Em decorrentes situações sem perceber se encontra em prantos; — frio. Faz frio a noite. Cada noite que passa é um dia de superação, sem como agradecer seu Maternal cuidado, minha cordial gratidão a todas as Senhoras de nossos Pais — em especial minha esposa, minha Sogra e minha Mãe. – A prioridade continua em pauta!

.

.

.

.

Nota do editor: os textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais iconográficos publicados pelo colunista não refletem necessariamente o pensamento do Cenário Notícias, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es)as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.