O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Eduardo Bim, foram alvos de uma operação, nesta quarta-feira, 19 de maio, que investiga a exportação ilegal de madeira para Estados Unidos e Europa.

A operação teve autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que determinou também a quebra dos sigilos bancário e fiscal de Salles, o afastamento preventivo de Bim do comando do Ibama e o de outros nove agentes públicos que ocupavam cargos e funções de confiança nos órgãos.

Ricardo Salles chegou na superintendência da PF em Brasília, por volta das 08h. O ministro disse a imprensa que a operação é “exagerada” e negou envolvimento na exportação de madeira.

“Estima-se que o referido despacho, elaborado a pedido de empresas que tiveram cargas não licenciadas apreendidas nos EUA e Europa, resultou na regularização de mais de 8 mil cargas de madeira exportadas ilegalmente entre os anos de 2019 e 2020”, informou a PF.