Os meses do ano nunca mais foram os mesmos desde que campanhas de conscientização começaram a alertar a população sobre temas relevantes. Diversas campanhas comemorativas e educativas passaram a conviver na vida das pessoas e assim, vidas são salvas.

       O mês de junho, carrega no seu calendário diversas datas importantes, dentre elas, o dia mundial do Doador de Sangue (14), no qual incentiva a doação de sangue para diversos bancos de sangue espalhados pelo mundo. Por esse motivo, neste mês foi adotado a cor vermelha para trabalhar sobre essa temática.

       Desde 2011, o movimento Eu Dou Sangue escolheu o mês de junho para intensificar a doação de sangue. Em 2015, o Ministério da Saúde estende esta campanha para todo o país, com o objetivo de incentivar o espírito de solidariedade em relação à doação de sangue, ato de amor que pode salvar vidas.

       Vale salientar que outros motivos levaram para que esse mês fosse escolhido: a proximidade da temporada de férias, no qual muitas famílias viajam e, as baixas temperaturas neste período que fazem as pessoas se recolherem mais em suas casas. Esses fatores fazem do mês de junho, o momento de maior escassez nos bancos de sangue.

       A campanha, neste ano de 2021, se faz ainda mais que necessária, uma vez que o mundo, incluindo o Brasil, se vê acometido pela pandemia do novo coronavírus, que preconiza o isolamento social, no qual dificulta a doação espontânea de sangue, levando a índices baixíssimos nos estoques de hemocentros no país.

       Podem doar sangue pessoas entre 16 e 69 anos e que estejam pesando mais de 50 Kg. Menores de 18 anos só podem doar com o consentimento dos responsáveis.

       Doe Sangue! Doe Vida!