Relembro dos amores e das besteiras que fiz. Em diversas vezes pude contemplar a escuridão ao meu redor e o desejo efêmero pela morte. Em relação a isso tenho que ser cauteloso porque os assombros ainda me assolam. Posso falar alto demais e encontrá-lo ao me deitar.

É importante falar das quedas que tive e resumindo foram diversas. Sofri fraturas do destino que me voltam à memória quando estou deitado, bloqueando o sono de chegar.

Em meu tribunal já sou julgado e durante horas de lutas e questionamentos assumo o posto de coragem e disperso a fumaça negra de minha memória.

Não junto o meu filho por ser mal relacionado. Ele tem seus motivos e eu sei muito bem que errei em relação a isso. Tenho em vista a responsabilidade maternal que minha ex-mulher superou e por essa razão reconheço meus erros e pondero os dela.

A fragilidade que tenho em meus ossos me dói e no frio range. É desagradável não ter forças para pegar a própria colher para levar a boca.

Tenho meus erros guardados como más recordações. É desagradável saber que não tem como reverter o passado e em diversas vezes eles nos afronta. Em minha debilidade tenho a franqueza em dizer que sou incapacitado de reagir, simplesmente convivo com isso.

Em relação a morte, sinto que ela me observa esperando o momento oportuno para me recolher até um lugar abrupto. As minhas atitudes julgadas e minha condenação é sofrer de paranoias.

Enquanto a fome o pobre padece, na mesa distante o desperdício segue em relação a moral está perdendo o valor diante das corrupções dos governadores.

Pra sobressair desse buraco e conquistar um espaço pra mostrar seu dom é com muita luta.

Queria contar minha história.

É parecida com a corrida de muitos. Tentar vencer ou ganhar visibilidade é osso. Aonde eu nasci embora seja grato por tudo tenho minhas expectativas fracas em relação a um desenvolvimento que tire o sofrimento das crianças por parte do governo.

Sofrimento cria resistência. Sofri demais, dificilmente alguma coisa me abala.

Na escuridão ouve grito e difícil e doido, gritando talvez seja um incentivo.

Tenho lembranças desagradáveis, mas agora observei que existem resistências em toda parte do Brasil. Onde procuram ser notados ou lembrados dentro do próprio pais.

O som que percorre a noite inteira, percorrendo ruas praças e avenidas, gritante! Soa forte a resistência dos sofridos esperamos a paz e a harmonia dos aflitos.

Histérico avanço de insensatez me fez ser uma pessoa traumática e com pesar recordo de lembranças antigas que me faz perder tempo de sono.

Nas praças alforjes improvisados em sacolas de lixo os únicos pertences, vejo o olhar sofrido e pedindo abrigo em relação a isso sabemos os motivos… a noite é longa, em crise sinto o drama. Talvez um grito seja um incentivo.

Barraco sem luz entre vários escombros dentro de um princípio sem ser vista para o mundo. Encarecemos de amor ou talvez um motivo pra acordar feliz e refazer o caminho.

Os almoços minguados, desafios diários está em minhas memórias, me lembro das noticias de despejo que era hora de partir a fim, sem rumo em dor encontrar um lugar para amenizar a dor…

.

.

Nota do editor: os textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais iconográficos publicados pelo colunista não refletem necessariamente o pensamento do Cenário Notícias, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es)as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.