Com 49,9 mil doses aplicadas, a Saúde suzanense alerta os grupos prioritários a participarem da imunização

A Secretaria de Saúde de Suzano anunciou nesta terça-feira (22/06) que a campanha de vacinação contra a gripe já alcançou 46% do público-alvo estimado. A imunização teve início em abril e atualmente está em sua terceira fase, beneficiando pessoas com comorbidades ou com deficiências, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo rodoviário e portuários, membros das Forças de Segurança e das Forças Armadas, funcionários do sistema prisional e a população privada de liberdade.

O índice registrado representa pouco mais de 47.100 pessoas de um total de 102.397 que compõem os grupos prioritários do município. Nas fases anteriores, foram contempladas crianças com idades entre 6 meses e menores de seis anos de vida, gestantes, puérperas, povos indígenas, trabalhadores da Saúde, professores e idosos maiores de 60 anos. Para os cidadãos que fazem parte destes grupos e não se imunizaram, ainda é possível receber atendimento e se beneficiar com a campanha gratuita.

A aplicação da vacina está disponível em todas as 24 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e de Saúde da Família (USFs) da cidade, de segunda a sexta-feira, das 8 horas às 15h30. Para receber a dose, a pessoa deve apresentar documento original com foto, comprovante de residência de Suzano e a carteira de vacinação. A terceira fase da campanha segue em andamento e está prevista para ser concluída no dia 9 de julho.

No caso das pessoas com comorbidades ou com deficiências, há exigência de receita ou carta de indicação médica. No primeiro grupo estão incluídos aqueles que têm doença renal, cardíaca, hepática, neurológica ou respiratória crônicas, diabetes, obesidade, imunossupressão, trissomias ou transplantados.

Quanto aos deficientes estão incluídos aqueles que apresentam limitação motora que cause grande dificuldade ou incapacidade para andar ou subir escadas, indivíduos com grande dificuldade ou incapacidade de ouvir ou enxergar mesmo com uso de aparelho auditivo ou óculos, além de pessoas com alguma deficiência intelectual permanente que limite as suas atividades habituais, como trabalhar ou ir à escola.

Já os demais grupos de trabalhadores mencionados precisam ter um documento que comprove o exercício efetivo da função ou também uma carta de indicação médica. A recomendação é válida ainda para os professores que eventualmente deixaram de se vacinar contra a gripe na etapa anterior. Também têm direito ao imunizante os idosos maiores de 60 anos, os profissionais da Saúde, as crianças com idade entre 6 meses e menores de seis anos de vida, gestantes, puérperas e povos indígenas.

O chefe da pasta, Pedro Ishi, lembrou a importância dos grupos prioritários se imunizarem contra a gripe, que previne contra os três tipos de vírus Influenza (H1N1, H3N2 e B). Segundo ele, a campanha é essencial para garantir o bem-estar de todos e manter a rede de Saúde concentrada no atendimento à Covid-19 e outras ocorrências de emergência.

“A todos que fazem parte dos grupos e ainda não se vacinaram, busquem a unidade de Saúde mais próxima e participem. Além de evitar o congestionamento dos hospitais e centros médicos, a medida diminui os riscos de casos graves de Influenza. Isso facilita um diagnóstico mais assertivo por parte dos médicos e nos permite direcionar o tipo de tratamento adequado para cada paciente, evitando complicações e a eventual necessidade de atendimentos hospitalares”, destacou.

Vale ressaltar que, para aquelas pessoas que já tomaram ou que irão tomar a vacina contra a Covid-19, o prazo de espera de pelo menos 14 dias entre as aplicações deverá ser respeitado. A medida se faz necessária diante da recomendação do Ministério da Saúde e de entidades do setor, como a Sociedade Brasileira de Imunizações.

Crédito das fotos: Irineu Junior/Secop Suzano