Presidente da Comissão Permanente de Transporte Público (CPTP) da Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos, o vereador Claudio Ramos Moreira (PT), criticou o decreto nº 6.423/2021 que autoriza o reajuste no preço do cartão de estacionamento rotativo denominado de Zona Azul, na cidade. Pelo documento, o usuário passará a pagar por cada hora, R$2,00 numa folha, ou seja, caso queira usufruir do boleto inteiro contendo 10 folhas, o motorista arcará com R$20,00. Hoje, o valor é R$15,00.

De acordo com o decreto publicado na edição do Boletim Oficial do Município (BOM), na quinta-feira, dia 15, a decisão assinada pela prefeita, Priscila Gambale (PSD) e pelo secretário municipal de Transportes e Mobilidade Urbana, o vereador licenciado Álvaro Costa Vieira (Podemos), o Kaká, entrará em vigor a partir da meia-noite do dia 1º de agosto. No momento, o número da frota de veículos emplacados na cidade supera os 70 mil automóveis.

Para Claudio Ramos, a permissão para a empresa concessionária aumentar o preço do talão de zona azul pode e deve ser considerada como inoportuna, sobretudo, levando em consideração a crise econômica porque passa o país, principalmente, agora agravada neste período da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Ainda, segundo o petista, o brasileiro não suporta mais tanta cobrança de impostos de taxas pelo poder público em geral. “Enfim, a Prefeitura poderia deixar para depois essa decisão”, diz.

Na atualidade, a cidade oferece 1.245 vagas de estacionamento rotativo distribuídas nas ruas localizadas na região central, entre elas, as Avenidas Brasil, XV de Novembro, Lourenço Paganucci e Godofredo Osório Novais e nos bairros da Vila Corrêa e do Parque São Francisco. Conforme o decreto nº 6.051, de 29 de outubro de 2018, cinco por cento (5%) das vagas são destinadas aos idosos e dois por cento (2%) às pessoas com deficiência, com dificuldade de locomoção. O serviço foi criado em Ferraz na década de 90.

Por Pedro Ferreira, em 16/07/2021.