Terceira RT da região foi aberta em Ferraz de Vasconcelos; Mogi das Cruzes e Suzano abrigam outras duas unidades

A região do CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê passa a contar com uma nova unidade de Residência Terapêutica (RT), implantada no município de Ferraz de Vasconcelos. A unidade abrigará pacientes dos municípios de Ferraz de Vasconcelos, Salesópolis e Suzano, que deixarão hospitais psiquiátricos de longa permanência.

Esta é a terceira RT a ser implantada na região. O serviço já existe desde 2018, com unidades em Mogi das Cruzes e Suzano. Na tarde de ontem (02/08), o presidente do consórcio, Rodrigo Ashiuchi; a prefeita de Ferraz de Vasconcelos, Priscila Gambale, juntamente com a secretária de Saúde de Ferraz de Vasconcelos, Kelly D’Ávila e o secretário executivo do consórcio, Adriano Leite, realizaram uma vistoria nas dependências do imóvel.

Durante a visita, o presidente do CONDEMAT, Rodrigo Ashiuchi, elogiou a estrutura do local, bem como a acolhida de Ferraz de Vasconcelos. “Assim como as demais RT’s, a nova unidade dispõe de uma estrutura muito boa e acolhedora, para oferecer um trabalho humanizado aos pacientes, além de representar uma grande conquista para a nossa região, graças ao empenho de todos os prefeitos do CONDEMAT, que abraçaram este projeto, permitindo a ampliação do atendimento”.

As RT’s funcionam como uma residência familiar para pacientes psiquiátricos, que são assistidos por uma equipe multiprofissional, e incentivados, dentro das suas limitações, a ter autonomia nas atividades do dia a dia.

A prefeita de Ferraz de Vasconcelos, Priscila Gambale, destacou a importância desse novo equipamento para a saúde mental e falou sobre a colaboração da gestão municipal para a atuação regional.

“Já temos esse serviço em Mogi das Cruzes e Suzano e agora chegou a vez de Ferraz de Vasconcelos contribuir regionalmente, com uma unidade que vai atender moradores do nosso município e também de cidades vizinhas. Tenho feito questão de visitar todos os equipamentos sociais e de saúde não com o objetivo de apenas fiscalizar, mas principalmente de colaborar para a melhoria dos resultados. No caso deste serviço de saúde mental, estamos todos empenhados para que os futuros moradores tenham resgatada a dignidade e a vida em sociedade”.

Por determinação da lei, cada residência terapêutica pode ter até 10 pacientes.