A vacinação contra a Covid-19 em Ferraz de Vasconcelos começará a atender o público entre 12 e 17 anos com comorbidade (veja quais são as doenças na listagem abaixo). As doses serão aplicadas nesta terça-feira (17) e quarta-feira (18) nos 8 polos de imunização da cidade.

Após concluir a liberação da faixa etária de toda a população adulta neste sábado quando o Dia V de Vacinação atingiu os 18+, Ferraz de Vasconcelos avança ainda mais. Os adolescentes serão imunizados com a vacina da Pfizer, a única liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Quem for tomar a vacina pode procurar as seguintes Unidades Básicas de Saúde (UBSs):  Jardim Rosana, Jardim Bela Vista, Vila Margarida, Vila São Paulo, Cidade Kemel, Santo Antônio e Jardim Yone, com atendimento das 8 até às 15 horas. O “Corujão da Vacinação” segue com atendimento das 8 às 20 horas na Igreja Nossa Senhora da Paz, no Centro.

A Secretaria de Saúde orienta levar o CPF ou cartão do SUS ou documento com foto. O comprovante de endereço pode ser no nome do responsável. Para o caso prioritário das pessoas que possuem comorbidades é necessário levar atestado médico, receita, exame ou algum documento oficial que comprove a condição.

A Secretaria de Saúde contabiliza a aplicação de 109.510 doses (1ª dose ou dose única), o que corresponde a cerca de 65% do público adulto vacinado. Tomaram a segunda dose 29.181 pessoas, o equivalente a aproximadamente 18% deste mesmo público.  

Quem precisa tomar a segunda dose pode procurar qualquer um dos polos de vacinação portando a carteirinha de vacinação e documento com foto. As grávidas e puérperas devem procurar, exclusivamente, o polo de vacinação da Igreja Nossa Senhora da Paz.

Confira a lista de comorbidades:

• Doenças Cardiovasculares;
• Insuficiência cardíaca (IC);
• Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar;
• Cardiopatia hipertensiva;
• Síndromes coronarianas;
• Valvopatias;
• Miocardiopatias e Pericardiopatias;
• Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas;
• Arritmias cardíacas;
• Cardiopatias congênitas no adulto;
• Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados;
• Diabetes mellitus;
• Pneumopatias crônicas graves;
• Hipertensão arterial resistente (HAR);
• Hipertensão arterial – estágio 3;
• Hipertensão arterial – estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade;
• Doença Cerebrovascular;
• Doença renal crônica;
• Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer);
• Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves);
• Obesidade mórbida;
• Cirrose hepática.

Por Sandra Paulino