O baterista do Rolling Stones, Charlie Watts, morreu nesta terça-feira (24), aos 80 anos. A morte do baterista foi confirmada por Bernard Doherty, agente do músico, em comunicado para a imprensa britânica.

“É com imensa tristeza que anunciamos a morte de nosso amado Charlie Watts”, escreveu Doherty.

Watts morreu em um hospital, junto de sua família. A causa da morte não foi revelada.

Charlie era um querido marido, pai e avô e, também como membro dos Rolling Stones, um dos maiores bateristas de sua geração. Pedimos gentilmente que a privacidade de sua família, membros da banda e amigos próximos seja respeitada neste momento difícil”, disse Doherty.

Charles Robert Watts nasceu em 2 de julho de 1941 em Londres.

Antes de se tornar um músico profissional, Charles trabalhou em uma agência de publicidade, na mesma época em que tocava em várias bandas de jazz amadoras.

Formado em artes gráficas, Watts conheceu seus companheiros de banda Brian Jones, Mick Jagger e Keith Richards nos clubes de R&B, em que o músico tocava na época.

Ele se casou com Shirley Ann Shepard, em 1964. O casal teve uma filha, Seraphina, em 1968.

Charles passou por uma cirurgia recentemente, não foi revelado qual procedimento ele teria feito, porém, seu representante informou que ela foi “completamente bem-sucedida”, mas que o músico não estaria na turnê da banda, prevista para começar em 26 de setembro.

“Com os ensaios começando em algumas semanas, isso é muito decepcionante para dizer o mínimo, mas também é justo afirmar que ninguém previu isso”, disse Watts em anúncio feito em agosto.

“Pela primeira vez, meu ritmo tem estado um pouco estranho. Tenho trabalhado duro para estar completamente bem, mas hoje eu devo aceitar os conselhos dos especialistas que isso demorar mais um pouco”, lamentou o músico.

“Depois de todo o sofrimento causado pela Covid, eu realmente não quero desapontar os fãs do Stones que já estão com seus ingressos com mais um anúncio de adiamento ou cancelamento. Por isso, pedi para meu grande amigo Steve Jordan para me substituir”, completou.

Jordan já havia substituído Watts em 2004, quando o músico passou por um tratamento contra o câncer.