Na sessão ordinária, na terça-feira, dia 14, o presidente da Câmara Municipal de Ferraz de Vasconcelos, vereador Flávio Batista de Souza (Podemos), o Inha, defendeu a recriação da Secretaria Municipal de Habitação, hoje, vinculada a pasta de Obras. Segundo ele, o provável desmembramento do órgão visa melhorar a atuação da municipalidade no setor e, sobretudo, para fazer o enfrentamento correto do processo de regularização fundiária na cidade.

Além disso, na opinião dele, a medida contribuiria para que o governo local cuide, por exemplo, da construção de moradias populares para beneficiar, principalmente, as famílias que moram em áreas de risco. “Em resumo, com isso, seria possível a Secretaria da Habitação comandar o assunto como um todo e não continuar atrelada a pasta de Obras, ou seja, sobrecarregando o atendimento das demandas habitacionais”, explicou Inha.

Ainda, para ele, no momento, o Palácio da Uva Itália infelizmente não desenvolve um plano concreto na área da habitação e muito menos mantém um diálogo permanente e atuante com a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) para, de fato, resolver o impasse relacionado à regularização fundiária em geral. “Na realidade, a Prefeitura Municipal precisa ter um norte no setor da habitação”, diz. Na atualidade, estima-se a existência de mais de 70 áreas ocupadas.

O presidente apoia desde o ano passado a legalização das casas dos moradores no Jardim Nova Ferraz e da Vila Piauí na região do Cambiri. No fundo, ele participa de reuniões na Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo (Cohab). A prefeita, Priscila Gambale (PSD) e o deputado estadual, Rodrigo Gambale (PSL) também lutam pela regularização fundiária do bairro. Para Inha, a regularização fundiária vai levar mais dignidade para mais de cinco mil famílias ocupam as áreas há 20 anos.

Por Pedro Ferreira