BOLSA FURADA

Aquilo que chegou para ser o maior programa emergencial da cidade, virou de fato uma verdadeira furada. Com exceção de 300 pessoas que já estão trabalhando, o programa, na verdade, desagradou quase dez mil pessoas. Primeiro, com tanta exposição de praticamente todos os políticos da base do governo da atual gestão fazendo live, o programa chamou a atenção de quase dez mil desempregados que sonhavam com o emprego. Depois, com a entrega dos documentos, mais da metade das pessoas foram desclassificadas logo de cara, restando assim, praticamente quatro mil pessoas que estavam naquele momento aptas a participar do programa.

E TOME MAIS LIVES

Após a seleção, tome mais uma saraivada de lives de todo mundo novamente. Era live de dia, na hora do almoço, no café da tarde, na janta e até na madrugada teve gente fazendo live para falar das pessoas que foram selecionadas. Pois bem, dos quase quatro mil selecionados, a expectativa era de que a prefeitura chamaria mil pessoas para trabalhar, segundo a administração, é claro que aos poucos. Passados praticamente cinco meses após o anúncio do Bolsa Ferraz, a verdade mesmo, é que apenas trezentas pessoas estão trabalhando, ainda sem fazer o curso profissionalizante que foi prometido desde o início.

E AS LIVES?

Deram uma parada nas lives, pelo menos deste assunto. Ninguém fala mais nada, e o que mais se vê na internet, são pessoas que ficaram entre os selecionados reclamando da demora para o chamamento. “CADÊ MINHA VAGA NO BOLSA FERRAZ PELO AMOR DE DEUS”, escreveu uma internauta em suas redes sociais. O fato é que, aquilo que era para ser o maior programa emergencial, está se tornando o maior programa “decepcional” da história de Ferraz.

ALÉM DOS PROCESSOS, TEM AS ENCHEÇÕES DE SACO

Chegamos num nível tão deprimente no país em relação à liberdade de expressão, que não podemos nem dar os parabéns para um parlamentar, que já vêm os puxa-sacos me encher os “patovás”.

Dias atrás dei os parabéns pelo casamento de um parlamentar que prefiro não falar o nome, para não ser processado. Alguém da família da noiva que diz não assistir o meu programa, comentou dizendo: “Todo dia você fala do deputado em seu programa”, pera aí, deixa eu entender, para quem nunca assiste o meu programa, como sabe que eu “falo do deputado” todo dia? Depois a pessoa disse: “Se eu fosse você, eu não mexeria em questões pessoais, pois falar do casamento não é legal”. Pera aí, deixa eu entender, o deputado postou uma foto do casamento em suas redes sociais, e nós que trabalhamos com jornalismo não podemos falar? Depois eu entendi o real motivo da chateação da pessoa, na verdade, ela não gostou que eu fiz uma brincadeira dizendo que nem eu, e nem um monte de amigos do parlamentar foram convidados para a cerimônia. “Quem nós convidamos para a cerimônia é problema nosso”, escreveu. Neste ponto eu tenho de concordar, a pessoa tem razão.

Mais uma vez eu repito o que eu disse no programa: PARABÉNS AO CASAL!