A Unidade Básica de Saúde (UBS) Mário Margarida da Silva, popularmente conhecida como  Centro de Saúde (CS-II), poderá ter o seu horário de atendimento ampliado das 17h para às 20h. Estudos com esse objetivo estão sendo propostos pelo vereador José Juca de Araújo Neto (PSC), o Juca do São Judas. A indicação foi lida na sessão ordinária, na terça-feira, dia 05. Agora, a sugestão será enviada para à Prefeitura Municipal.

De acordo com o documento, o aumento no horário de funcionamento do posto de saúde que atende na Rua Japão, 121, no centro da cidade, visa beneficiar os moradores que trabalham fora e, portanto, não têm tempo suficiente para ir até o local no chamado horário comercial, isto é, das 7h às 17h, de segunda à sexta-feira. Com isso, como alternativa surge apenas o Hospital Regional Dr. Osíris Florindo Coelho, na Vila Corrêa.

Mesmo assim, o vereador acrescentou ainda que ao chegar lá na unidade estadual nem sempre o interessado consegue atendimento porque o complexo hospitalar encontra-se sobrecarregado, sobretudo, o Pronto-Socorro (PS). “Em suma, o povo que já vive cansado normal do trabalho e do sistema de transporte, acaba ficando à mercê da própria sorte”, lamenta Juca. Por isso, ele confia que o seu pedido será estudado com carinho.

Convém destacar que o CS-II já teve o seu horário de atendimento ao público alterado em 2013. Na época, a unidade chegou a funcionar das 7h às 21h, porém, devido a falta de servidores e, principalmente, a baixa demanda após às 17h, a Secretaria Municipal da Saúde resolveu voltar ao expediente anterior. Apesar disso, no mesmo ano, os vereadores pediram que o posto atendesse 24h, mas não obtiveram êxito.

Castelo

Na sessão ordinária, o vereador Juca do São Judas denunciou o péssimo estado de conservação da estrutura física da Unidade Básica de Saúde (UBS), no Jardim Castelo. Segundo ele, o povo daquela região da cidade não aguenta mais tanto descaso. “A cadeira do dentista está quebrada há mais de três meses e até agora nada foi feito para consertar o equipamento, apesar da cobrança”, desabafou. Ele criticou também o atendimento no local.

Por Pedro Ferreira