É TUDO UMA COISA SÓ?

Lá no fundo, o que parece mesmo é que, por mais que pareça existir uma suposta rivalidade entre os principais grupos políticos de Ferraz de Vasconcelos, ainda paira no ar, por conta das atuais movimentações destes grupos, que tudo pode não passar de um grande teatro.

Digo isso, pois, o atual governo, como diz o antigo ditado, “está nadando de braçada”. Esses dias, um jornalista da cidade postou assim: “INIMIGOS DECLARADOS NAS REDES SOCIAIS, JANTANDO JUNTOS EM RESTAURANTE FORA DA CIDADE”.

SEM ADVERSÁRIO EM 2022

Sabemos que o atual deputado estadual Ferrazense, Rodrigo Gambale, pode ser tudo, menos bobo. Aliás, está se mostrando muito “espertinho”, digo isso, pois, enquanto as pessoas embaixo, estão preocupadas em fazer postagens reclamando de todos os votos favoráveis que ele tem dado para o governador João Doria, ele, lá em cima, só está colhendo os frutos dessas votações e fechando, literalmente, a boca de pessoas, ou, trazendo para o seu lado, lideranças de diversas cidades para o apoiarem nas eleições de 2022 para deputado federal. Pois, infelizmente em nosso país, sabemos de que forma se vence uma eleição.

MAS A BASE NÃO É FERRAZ?

É aí que, na minha opinião, entra em cena um dos maiores articuladores políticos desta cidade, chamado Roberto Martinelli. Pode perceber, todos os supostos adversários de Rodrigo Gambale, já estão ventilando na região que serão candidatos a deputados estaduais, mas pera aí, por que ninguém vem candidato a deputado federal para tentar tirar votos do Gambale, já que são oposição? Por que não tentam dificultar a vida de alguém que já se mostrou ser articulado? Já que, se por um azar, Gambale não vencer as eleições de deputado federal, e não conseguir eleger Kaká, o jogo ficará totalmente aberto para 2024 para as eleições municipais. A resposta pode ser Roberto Martinelli, se tem alguém “jantando” com pessoas que podem ser adversários de Gambale e esses estão recuando para não atrapalhar o processo do jovem, esse alguém, com certeza, é o Roberto.

MUITOS ME PERGUNTAM: “JAIR, ENTÃO POR QUE VOCÊ AINDA CONTINUA MOSTRANDO AS COISAS?”

Eu não faço jornalismo para prejudicar “a” ou “b”, muito pelo contrário, eu faço o meu trabalho para fazer os políticos de fato exercerem seus papéis enquanto funcionários do povo. Vou dar alguns exemplos: em meu quadro O Povo Fala, onde as pessoas mandam as reivindicações da cidade, a prefeitura já conseguiu resolver praticamente 30% das demandas. No Hospital Regional, eu já consegui ajudar dezenas de pessoas que estavam passando por problemas.

Recentemente, fiz uma reportagem sobre a promessa que a prefeita fez em campanha sobre o centro de convenções, hoje, eles já estão se mexendo para entregar à sociedade, um espaço de lazer. Aqui só mostrei alguns casos em que o meu trabalho como repórter já ajudou a cidade. Então, o importante para mim não é reconhecimento dos políticos, e sim da cidade, e isso eu tenho 100% de certeza que estou tendo.

Como eu disse esses dias no meu programa ao vivo: “A cara dos políticos é trabalhar, e a minha cara, é cobrar!”.