A obra das 188 moradias do programa Morar Bem II, localizadas no bairro da Vila São Paulo, em Ferraz de Vasconcelos, segue atrasada. O prazo estipulado pela prefeitura era até o final de 2021.

O local já foi cenário de invasões e reintegrações de posse. Enquanto isso, famílias esperam pela finalização de suas casas.

A construção teve início em 2008 e ficou cerca de 10 anos parada. A atual gestão da cidade retornou com as obras em 27 de janeiro de 2020, porém, o local continua com diversas coisas faltando.

Em janeiro, no retorno das obras, a prefeita Priscila Gambale (PSD) estipulou que as obras seriam concluídas até o final deste ano.

“Estou muito contente em poder dar continuidade nesta obra que estava há mais de 10 anos parada e o objetivo é concluí-la até o final do ano”, disse a prefeita.

Segundo o líder do projeto Morar Bem II, Samuel Rodrigues, dentre as coisas que ainda precisam ser feitas, estão: asfalto, sarjetas, parte das guias e a demolição de lajes de algumas casas que estão condenadas.

Ainda segundo Samuel, ele está tentando falar com a prefeita há dois meses, porém, não conseguiu agenda com ela. Disseram para ele que a prefeita estava ocupada com outras atividades.

“Eu tentei falar com a prefeita, esses últimos dois meses, mais ou menos, e eu não consegui agenda com ela, por que diz que ela tava preocupada com o aniversário de Ferraz, com festividades”, disse Samuel.

Porém, Samuel também disse que a prefeita esteve atendendo outras pessoas e entidades.

“Mas aí, ela tava atendendo a pessoa que trouxe o projeto da geladeira, que põe livro na geladeira lá, atendeu várias outras entidades, outras situações aconteceram, foi até pra Poá, pra falar com as lideranças de Poá”.

Samuel se colocou a disposição da prefeitura de Ferraz de Vasconcelos, para que o projeto tenha andamento.

Foi feita uma contrapartida na obra, junto com a empresa RPI, que, segundo Samuel, não tem cumprido com o cronograma apresentado pela empresa.

A empresa responsável deixou diversas coisas feitas pela metade, mal feitas ou sem cuidado, como, por exemplo, buracos abertos, fiações sem proteção e as estruturas de algumas casas que já estão danificadas.

Clique aqui e confira a transmissão ao vivo em que a TV Cenário mostrou as condições do local.