A jornalista Cristiana Lôbo morreu nesta quinta-feira (11), aos 64 anos, por conta de um mieloma múltiplo, que estava sendo tratado há alguns anos, e que foi agravado por uma pneumonia contraída nos últimos dias. A jornalista estava internada no hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Cristiana deixa o marido, Murilo, dois filhos, Gustavo e Bárbara, e dois netos, Antônio e Miguel.

Cristiana atuou no jornalismo por mais de 30 anos. Trabalhou no jornal O Globo, Estado de S. Paulo e também esteve na TV, na GloboNews. Ela também comandou o programa Fatos e Versões e a coluna Os Bastidores da Política, no g1.

O mieloma múltiplo, câncer que matou a jornalista, é um câncer de um tipo de células da medula óssea chamadas de plasmócitos, responsáveis pela produção de anticorpos. Essa doença faz com que os plasmócitos se tornem anormais e se multipliquem rapidamente, comprometendo a produção das outras células do sangue.