Começou a valer neste domingo (14) o novo valor da passagem de ônibus nas cidades de Suzano e Poá. A passagem foi de R$ 4,40 para R$ 5. O reajuste foi de 13,63%.

Segundo o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), em Suzano, o pedido de reajuste por parte da Radial Transporte era de 100% do valor atual, de R$ 4,40. Porém, o prefeito Rodrigo Ashiuchi não aceitou, por considerar o aumento como “abusivo”.

Em uma proposta mais recente encaminhada à prefeitura, a empresa de transportes solicitou outro reajuste, desta vez para R$ 6. A nova proposta também não foi aceita. O valor de R$ 5 foi decidido após reuniões realizadas entre representantes da administração municipal, incluindo a Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana, e da concessionária.

De acordo com o Condemat, a Radial Transporte usou como justificativa, principalmente, o aumento dos preços dos combustíveis e a projeção de novas altas para os próximos meses, além da queda no número de passageiros por conta da pandemia da Covid-19. A concessionária disse que caiu de 38 mil passageiros transportados por dia para 23 mil, representando uma diminuição de cerca de 40% de passageiros.

A empresa também afirmou que a cidade de Suzano não realiza o reajuste há dois anos e nove meses, mesmo com o aumento do preço do diesel.

A concessionária também usou como argumentos, o reajuste salarial dos funcionários, a inflação e os aumentos em outros itens que fazem parte da estrutura operacional do serviço prestado, além do Índice de Preços ao Consumidor (IPC).

Segundo o prefeito de Suzano, o aumento foi aceito devido ao tempo sem reajuste e às contrapartidas que estão sendo garantidas, entre elas, a renovação da frota de ônibus, a criação de dois aplicativos para atender os passageiros, a revitalização do Terminal Vereador Diniz José Dos Santos Faria e a construção de um novo terminal no distrito de Palmeiras.

Enquanto isso, a Prefeitura de Poá informou que a prefeita Marcia Bin já havia negado a proposta de reajuste da passagem para R$ 9, por também considerar o valor abusivo. E também houve recusa na proposta de reajuste para R$ 6.

De acordo com a Prefeitura, mesmo tentando evitar o reajuste, a prefeita reconheceu que a empresa também está com dificuldades para manter o serviço, levando em conta que o último reajuste foi em 2019.

Em nota, a Radial Transporte informou que depois de quase três anos sem aumento da passagem, mas, com aumento dos custos da empresa, o reajuste no valor da tarifa foi inevitável.

A empresa informou que mesmo com todos os problemas, a Radial mais que dobrou o número de carros e viagens. Segundo a empresa, são 84 carros, com média de idade de três anos e novos veículos em circulação. Também disseram que realizam 676 viagens diárias, com intervalos menores entre suas passagens nos pontos.

A empresa prometeu melhorias, entre elas, uma possível integração do transporte municipal com a CPTM e um aplicativo GPS que permitirá que os usuários consultem opções de transportes em tempo real, além de saberem o tempo de espera.

Já nas outras cidades que fazem parte do Condemat, as negociações continuam entre município e concessionária.