A Guarda Civil Municipal (GCM) de Poá prendeu um homem na manhã deste domingo (5), por tentativa de homicídio, na região central do município. O indivíduo efetuou diversos disparos contra um outro rapaz na avenida Nove de Julho. Por sorte ninguém ferido. Ele foi detido em um estabelecimento comercial após os agentes obterem a descrição do suspeito e constatar a autoria do crime, com as imagens apresentadas no local pela Polícia Militar (PM).

Segundo o comandante da Guarda Municipal, Alexandre Guarnieri, duas viaturas realizavam blitz na altura do número 1.110 da avenida Nove de Julho, com a finalidade de coibir as arrancadas e direções perigosas pelo local. “Nós intensificamos a presença das viaturas na região, pois os últimos comércios encerram suas atividades por volta das 4 e 5 horas e é neste período que aumenta o risco de eventuais problemas, principalmente, relacionados a abusos ao volante”, destacou.

No final deste período, ao ouvirem os disparos e perceberem as pessoas fugindo e pedindo por socorro, as viaturas se deslocaram até o local do tumulto, ocorrido na altura do número 1.370 da mesma avenida. “Em contato com as testemunhas, os agentes obtiveram as informações de que o desentendimento entre os dois teve início dentro de um lounge, após uma desinteligência que se estendeu até a via pública, onde o agressor sacou a arma e efetuou vários disparos em direção à vítima que conseguiu fugir”, disse.

Após a tentativa de homicídio, o indivíduo retornou para dentro do estabelecimento comercial, que foi fechado pelos agentes para varredura e identificação do agressor. “Ainda durante a revista ao local, a Polícia Militar chegou já em posse das imagens que comprovavam as características do meliante e a autoria da agressão. Após ser identificado, ele confessou o crime e mostrou o local onde havia escondido a arma. Vale ressaltar que, dentro do referido lounge, durante a varredura, a equipe também encontrou um simulacro escondido por um autor ainda desconhecido”, afirmou Guarnieri. O agressor, assim como a arma e o simulacro, foi encaminhado à Delegacia de Polícia (DP) de Itaquaquecetuba, onde ficou à disposição da justiça.