O preço do café atingiu seu maior valor em 25 anos. No final de 2021, a saca do grão estava R$ 843 mais cara no final de 2021 se compararmos com o mesmo mês de 2020. A seca e a alta do dólar influenciaram bastante no aumento do valor.

Em dezembro de 2020, o café tinha preço base na Bolsa de Valores de Nova York de cerca de R$ 598,23. Um ano depois, o valor atingiu R$ 1.441,82.

Segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), em um ano, a alta do café moído foi de 42%.

O Brasil vende café no mercado interno a preço de exportação e, por estar cotado na Bolsa de Nova York, o grão sofre influência do dólar.

Além do dólar, o clima também influencia a alta do café. A escassez de chuva e as geadas são apontados por especialistas como fatores no aumento do valor.

“Esse preço vai ficar firme até março, ainda com viés de alta. E, a partir de março, quando tivermos mais esclarecido quanto vai ser a safra, o preço deve se estabilizar”, diz Celírio Inácio, diretor-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic).