OPOSIÇÃO CRESCENDO

O que era apenas dois, logo se tornou três e, em breve, será quatro.

No início do ano passado, a Câmara de Ferraz se mostrava totalmente subserviente ao poder executivo, porém, hoje podemos ver um certo barulho acontecendo, principalmente com os vereadores: Tonho, Roberto de Souza, e na sequente, não com tanto fervor assim, Fabinho. Mas, o que parece é, que o melhor está por vir. Digo isso, pois, parece que mais um vereador, que hoje exerce um cargo de secretário no atual governo, está descontente com a gestão e retornará à casa de leis e, pelo jeito, com sangue nos olhos.

Também está circulando nos bastidores, que, além disso, no mínimo mais três vereadores que estão na base do atual governo, já estariam se articulando para também virarem oposição. Pois bem, enquanto em 2021 a prefeita estava totalmente a vontade para mandar qualquer projeto para Câmara, porque sabia que seria facilmente aprovado, parece que em 2022, a coisa não será tão simples assim.

E FALANDO EM PROJETOS APROVADOS DE QUALQUER JEITO

Acaba de sair uma decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), dando uma liminar favorável a uma ação popular em relação ao projeto emergencial Bolsa Ferraz. Pelo despacho, a prefeitura terá de pagar um milhão em multa e mais mil reais por dia, para poderem recorrer do processo sem ter que demitir os bolsistas. Inclusive, os vereadores que votaram favorável ao projeto do executivo, também estão envolvidos no processo. Segundo a justiça, a prefeitura não poderia criar tal lei, pois, o próprio governo, assim que assumiu o mandato, decretou estado de calamidade pública, e o Bolsa Ferraz, onera os cofres públicos em um milhão de reais por mês. Além disso, a liminar deixa claro que com a ação, a prefeita e seu irmão pré-candidato a deputado federal, iriam se beneficiar com a ação. Agora só resta esperar para ver se a prefeitura irá ou não recorrer da decisão para manter os bolsistas em seus cargos.

SÓ FALTAM PLANTAR BANANEIRA

Deve ser uma coisa triste, ter tanto investimento por trás, folha de pagamento de quase cinquenta mil reais por mês e, mesmo assim, não darem resultado no trabalho.

Tem uma secretaria de comunicação de uma cidade do Alto Tietê, que todos os dias inventa uma coisa diferente para tentar crescer na internet. Já fizeram stand-up comedy, momentos “A B C”, cenário com o fungo da cidade, entrevistas na rua, e agora a moda é imitar as chamadas e o jeito que eu faço lives na rua.

E mesmo com tudo isso, a coisa não cresce, sabe por que? Vocês estão fazendo errado.

A população está cansada de ver artes bonitas, mas sem conteúdo, lives que vocês acham que são engraçadas e não são, ou entrevistas tentando mostrar algo que, na prática, não funciona.

Precisam entender a diferença entre propaganda, comunicação e jornalismo. Enquanto vocês acharam que sabem fazer tudo, continuarão apanhando na questão de engajamento. Mas tomem cuidado, por mais que vocês tenham padrinhos e parentes fortes, uma hora eles irão se cansar e a mamata de ganhar R$ 12 mil por mês, pode acabar.