Essa é uma história de inspirações. Com mais de 50 anos de história o curso de medicina da UMC é conhecido como um dos mais tradicionais do país e sempre traz experiências e exemplos inspiradores a todos. Atualmente uma história emocionante tem aquecido o coração dos alunos. Vivian Galego, de 39 anos, decidiu voltar aos estudos, depois que o filho ingressou na universidade.

Vivian sempre foi apaixonada por medicina, mas não tinha condições de fazer o curso quando era mais jovem. Seu sonho foi engavetado de vez quando com 17 anos ficou grávida de seu único filho. Mesmo tendo estudado farmácia precisou redirecionar sua carreira para ajudar nos negócios da família.

Quando seu filho, Pedro Henrique trouxe a notícia esperada ela relembrou seu antigo sonho. “Meu filho tinha acabado de passar no vestibular de medicina da UMC e eu não podia estar mais feliz. Comecei a ajudar ele a estudar e passávamos horas falando sobre as matérias”, conta.

Pedro Henrique, com 22 anos, explica que quando estava no segundo ano da faculdade, ouviu o desabafo da mãe sobre querer fazer medicina. “Esse sempre foi o sonho dela, e se sentia frustrada por achar que não poderia mais entrar em uma universidade. Eu disse que ela tinha capacidade e que a ajudaria nos estudos para o vestibular”, revela.

Depois de muito empenho e dedicação, Vivian passou no vestibular da UMC e começou a estudar medicina. A aluna de 39 anos, apelidada de “Guerreira” pelas colegas de classe, aproveita o tempo livre para estudar e tirar dúvidas com o filho, que está alguns semestre à frente. “A gente até disputa para ver quem tira as melhores notas”, conta a Vivian em tom descontraído.

Para o filho, orgulho é a palavra que define sua mãe. “Essa palavra representa meu sentimento por ela. Ela batalhou muito e persistiu em seus sonhos. Já a vejo como uma grande médica”, afirma.

Superação, dedicação e a certeza de que sonhos podem ser realizados a qualquer tempo! Se você tem vontade de cursar medicina na UMC, tenha em mente que nunca é tarde para realizar os seus sonhos. “Não podemos desistir, vou me formar com 42 anos e posso garantir: Se puder trabalhar durante uma única semana como médica, eu já estarei realizada. Essa é a experiência mais intensa que já vivi até hoje”, finaliza Vivian Galego.