A Prefeitura de Itaquaquecetuba inaugurou, na tarde da última segunda-feira (19), a primeira escola municipal de educação bilíngue para surdos em classe regular no ensino fundamental do Alto Tietê. A unidade recebeu o nome de Charles Michel de l’Éppée em homenagem ao religioso francês conhecido por elaborar métodos diferenciados para pessoas surdas, com estímulo às habilidades de leitura e escrita de maneira inovadora.

Localizada da rua Pedro Américo, 80, no centro, a capacidade é para 40 estudantes do 1° ao 5° ano e a estrutura inclui cozinha, salas de aula, banheiros, sala de direção, área externa descoberta para lazer e refeitório. O horário das aulas é das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30 e já tiveram início nesta terça-feira (20). Até o momento, 24 estudantes estão matriculados e as matrículas continuam abertas. Assim que atingir o número máximo, haverá uma fila de espera.

Escola municipal de educação bilíngue Charles Michel de l’Éppée em Itaquaquecetuba – Foto: Dayane Oliveira

Estiveram presentes na cerimônia de inauguração o prefeito Eduardo Boigues, a secretária de Educação, Maria Cristina Perpetuo, demais secretários e vereadores, o Departamento de Educação Especial, funcionários da unidade e a comunidade surda. A proposta da escola destina-se ao atendimento de crianças com surdez, surdez associada a outras deficiências, limitações, condições ou disfunções e surdocegueira.

“Precisamos nos sentir corresponsáveis na oferta da educação inclusiva com equidade e dar a oportunidade para que a escolaridade favoreça uma aprendizagem elaborada e eficiente, promovendo o bem-estar, a autonomia e assim introduzir esses estudantes futuramente no mercado de trabalho”, destacou a secretária.

Na perspectiva da educação bilíngue, a escola oferecerá a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como primeira língua e a Língua Portuguesa como segunda. A oferta de ensino regular em etapas e modalidades específicas à faixa etária dos estudantes torna a instituição o primeiro centro de referência de inclusão de pessoas surdas do Alto Tietê que promove o atendimento nos moldes das classes regulares de ensino.

“Essa iniciativa vai permitir o acesso dos estudantes surdos a um ensino de qualidade com segurança, conforto e próximo de sua residência. Até o momento, esses estudantes eram transportados para São Paulo em busca de atendimento e estamos muito felizes por mais essa conquista para a cidade”, complementou o prefeito.