A jornalista russa Marina Ovsyannikova, que invadiu um telejornal de um canal estatal de seu país com um cartaz contra a invasão russa na Ucrânia, conseguiu fugir da prisão domiciliar e deixou a Rússia, informou seu advogado nesta segunda-feira (17).

Segundo o advogado Dmitry Zakhatov, que defende a jornalista, ela está “atualmente sob proteção de um estado europeu”. Ele não detalhou a fuga.

O protesto foi feito em um momento que toda a imprensa do país era proibida em falar em guerra. A jornalista foi presa em agosto, acusada de espalhar notícias falsas sobre as Forças Armadas da Rússia. A jornalista de 44 anos estava em prisão domiciliar enquanto aguardava julgamento.

“O que está acontecendo na Ucrânia é um crime e a Rússia é a agressora”, disse ela na ocasião. Ela também falou sobre a forma como a população russa reage às atitudes do Kremlin.

“Nós não protestamos quando o Kremlin envenenou Alexei Navalny. Nós silenciosamente observamos esse regime desumano. Agora o mundo inteiro virou as costas para nós, e nem dez gerações de nossos descendentes vão limpar essa guerra entre irmãos.”

Se for considerada culpada, Ovsyannikova pode pegar até 10 anos de prisão.