A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta segunda-feira (21) a venda do Paxlovid em farmácias do país. O remédio é um conjunto de dois medicamentos antivirais: o nirmatrelvir e o ritonavir, que quando combinados, bloqueiam uma enzima necessária para que o vírus da Covid-19 se replique no corpo.

Segundo a Anvisa, o medicamento poderá ser fornecido tanto para farmácias, como para hospitais particulares.

Para adquirir o medicamento nas farmácias, é necessária uma prescrição médica. Vale ressaltar que o Paxlovid estará com bula e rotulagem em português de Portugal e em espanhol.

A agência diz que o remédio só deve ser utilizado somente por adultos e é indicado para o tratamento da Covid-19 naquelas pessoas que não precisam de oxigênio suplementar e que apresentam um maior risco de progressão da doença para o estado grave.

Já sobre a forma de administração do medicamento, os dois comprimidos devem ser tomados juntos por via oral, duas vezes ao dia, durante 5 dias, para que o tratamento seja efetivo.

A Anvisa afirma que a aprovação do remédio levou em consideração a venda do produto no mercado privado em outros países, sendo aprovado por autoridades internacionais de referência, como Canadá e Estados Unidos.

A aprovação também considera o cenário epidemiológico atual, que lida com a circulação das subvariantes da Ômicron e o aumento de casos da doença no país.

A diretora relatora da Anvisa, Meiruze Freitas, afirmou que a vacinação segue sendo a melhor estratégia para evitar a infecção pela doença e o número de internações e mortes. Ela também lembrou que a venda do Paxlovid no mercado privado aumentará a facilidade de acesso ao tratamento contra a Covid-19.

De acordo com a Anvisa, a Pfizer deverá priorizar o abastecimento do medicamento no Sistema Único de Saúde (SUS).