Presidente do Corinthians adapta discurso e põe pé no chão sobre reforços

O atual presidente do Corinthians, Augusto Melo, recentemente ajustou o tom de suas declarações sobre a busca por reforços de peso para o clube.

Reconhecendo a realidade financeira, Augusto Melo admitiu publicamente que o Corinthians não dispõe de recursos para contratar “estrelas” neste momento. Entretanto, ele destacou a intenção de preparar o Timão para adquirir essa capacidade em um futuro próximo.

Inicialmente, o presidente nutria expectativas em relação a atletas renomados, como Gabigol, e durante a campanha, não descartou especulações envolvendo nomes como Di María.

Ao avaliar a situação de maneira mais pragmática, Augusto Melo compreendeu as limitações atuais do clube, especialmente em virtude de suas diversas dívidas de curto prazo que demandam solução imediata. Diante dessa realidade, a estratégia agora é adotar uma postura mais conservadora, valorizando os jogadores que chegaram ao Corinthians sem grandes alardes e que contribuíram significativamente para a história recente do clube.

Em suas declarações ao programa Jogo Aberto, Augusto Melo afirmou: “Hoje não temos dinheiro para estrelas, por isso estamos readequando. Quando tivermos caixa, é sempre bom ter uma ou duas estrelas, para vender camisa e qualificar.

Quanto às possíveis chegadas de novos jogadores, o Corinthians mantém o foco em reforçar o sistema ofensivo e está de olho em duas ou três contratações no mercado. A perspectiva de investimentos adicionais existe, mas a necessidade de parcelamento nos pagamentos é evidente, considerando que o clube espera contar com um caixa mais robusto no segundo semestre. Até o momento, o Corinthians já comprometeu aproximadamente R$ 70 milhões com as aquisições de Félix Torres, Raniele e Rodrigo Garro, enquanto Gustavo Henrique, Diego Palacios e Hugo chegaram ao clube de forma gratuita, e Matheuzinho foi contratado por meio de empréstimo.

Texto por: Redação

Veja também